sicnot

Perfil

País

Lisboa deverá ter 60 cacifos para sem-abrigo até ao final do ano

© Rafael Marchante / Reuters

Os promotores do projeto Cacifos Solidários, que apoia sem-abrigo e teve início na freguesia lisboeta de Arroios há três anos, com 12 unidades, esperam poder contar até ao final do ano com um total de 60 cacifos na capital.

O projeto, levado a cabo pela Associação Conversa Amiga (ACA), arrancou há três anos no Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, que hoje se assinala.

De acordo com o presidente da ACA, Duarte Paiva, o projeto permite que, no contexto de rua, as pessoas em condição de sem-abrigo "não só tenham um local seguro e digno onde possam guardar os seus pertences, mas também permite um acompanhamento onde em mais de 40% dos casos significou a saída da rua".

Porém, mantém-se ainda o impasse sobre a colocação de 24 cacifos nas zonas do Rossio e do Oriente, mas a Câmara Municipal está a "abrir caminho" para desbloquear as autorizações.

"Até ao momento houve rejeição ou não resposta das três juntas de freguesia para onde se destinam 36 novos cacifos (Parque das Nações, Misericórdia e Santa Maria Maior). Para estas, estão destinados 12 cacifos para cada uma de três localizações diferentes - Martim Moniz, Oriente e Cais do Sodré", explicou.

No impasse, "que já se tornou longo", segundo Duarte Paiva, foi solicitada a ajuda do município, enquanto parceiro do projeto e também no âmbito do Núcleo de Planeamento e Intervenção Sem-Abrigo (NPISA) de Lisboa.

"Neste momento aguardamos por uma boa resolução do assunto, dado que já passou demasiado tempo e muito empenho foi depositado neste projeto. De momento, e o que mais nos custa, é saber que 36 pessoas não estão a beneficiar desta solução. Se multiplicarmos estas pessoas pelas que já podiam ter sido apoiadas, tendo por comparação os 24 cacifos já existentes, então o número de quem podia ter beneficiado é quase o dobro", lamentou o responsável.

Passados três anos da implantação do projeto-piloto em Arroios, Duarte Paiva faz um balanço positivo, avançando estar pronto para continuar e "fechar o ano com uma rede total de 60 cacifos".

"Hoje, passadas 47 pessoas nos 24 cacifos atuais, podemos afirmar que é uma solução válida, que deve existir. Mas o projeto vai muito para além dos cacifos, ele integra uma equipa profissional que acompanha cada pessoa que tem um cacifo", explicou.

Para além das pessoas que têm cacifo, a equipa apoiou cerca de 200 outros casos.

"Cada vez mais os cacifos funcionam como um degrau entre a rua e uma melhor solução. Citando algumas das pessoas que utilizam ou já utilizaram o projeto Cacifos Solidários, as palavras de apreço têm sido muitas e significativas: 'Antes tinha um problema de 100 quilos na cabeça e agora é de 40' ou 'O cacifo não dá para dormir, mas é como se fosse uma casa'", disse Duarte Paiva.

O trabalho é realizado no âmbito do NPISA ao nível de gestão de casos, equipa técnica de rua e apoio na saúde.

Lusa

  • SIC faz-se à estrada para ouvir eleitores
    2:13
  • Furacão Maria ameaça Ilhas Virgens e Porto Rico

    Mundo

    O furacão Maria "potencialmente catastrófico" está a ameaçar as Ilhas Virgens e o Porto Rico, depois de esta terça-feira ter semeado a destruição na Dominica e provocado um morto e dois desaparecidos na ilha francesa de Guadalupe.

  • Pistolas Nerf podem causar graves lesões nos olhos

    Mundo

    As balas das pistolas Nerf, quando atingem os olhos, podem causar graves lesões. O aviso é de um grupo de médicos de Londres, que recomenda a utilização de óculos protetores e o aumento da idade mínima para a utilização dos brinquedos.

    SIC

  • Investigadores descobrem como transformar gordura "má" em gordura "boa"

    Mundo

    Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington, Estados Unidos, descobriu como converter a gordura corporal "má" em gordura "boa", permitindo queimar mais calorias e atrasar o aumento de peso, num estudo conduzido em ratos. Estes resultados abrem caminho para a possibilidade de desenvolver tratamentos mais eficazes para a obesidade e para a diabetes associada ao aumento de peso em pessoas, segundo os autores.

  • Escola na Croácia usa imagem de Melania Trump para chamar alunos

    Mundo

    "Imagine até onde pode ir com um pouco de inglês", foi com estas palavras que uma escola de inglês da Croácia decidiu promover as suas aulas, juntando ainda a fotografia de Melania Trump ao placard do anúncio. Agora, a primeira-dama norte-americana ameaça levar o Instituo Americki a tribunal. Entretanto, o placard já foi retirado do local.

    SIC