sicnot

Perfil

País

Polícia encontra carrinha do suspeito dos crimes de Aguiar da Beira

Emissão em direto

Pedro João Dias é procurado pelas autoridades há uma semana.

MIGUEL PEREIRA DA SILVA / Lusa

As autoridades encontraram esta segunda-feira a carrinha onde seguia o suspeito dos crimes cometidos na semana passada em Aguiar da Beira. A viatura foi localizada junto à aldeia de Carro Queimado, no concelho de Vila Real.

Direto

As operações de busca estão agora concentradas nesta aldeia de Vila Real, que fica junto a outra aldeia, a de Constantim, onde o suspeito terá sido avistado ontem.

O carro é um Opel Astra branco, que terá sido roubado por Pedro João Dias, o suspeito dos crimes da passada segunda-feira.

A estrada onde a viatura foi localizada está cortada ao trânsito e há fortes indícios de que o suspeito esteja num local próximo.

Durante todo o dia a GNR e a PJ mantiveram no terreno um forte dispositivo policial, com militares também concentrados em alguns pontos chaves, onde foram mandando parar algumas viaturas e pedindo aos condutores para abrirem as malas.

O suspeito foi avistado no domingo por uma patrulha da Guarda na zona industrial de Vila Real e na aldeia de Constantim, horas e 100 quilómetros depois de alegadamente ter roubado um carro em Arouca.

A GNR está focada na zona de Vila Real, mas continua a exercer ações também nos distritos limítrofes, tanto a norte como a sul.

As autoridades reforçaram também o pedido à população para que se mantenha atenta, devendo em casos suspeitos alertar de imediato a GNR.

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.