sicnot

Perfil

País

Campanha contra tráfico de seres humanos reserva lugares no Metro de Lisboa

© Reuters

O Metro de Lisboa tem hoje lugares vazios reservados que representam o lugar de alguém que desapareceu, naquela que é uma campanha contra o tráfico de seres humanos, revelou a Câmara Municipal, parceira da iniciativa.

Para assinalar o Dia Europeu de Combate ao Tráfico de Seres Humanos, que hoje se comemora, a autarquia lisboeta, a Associação para o Planeamento da Família (APF) e o Metro juntaram-se numa campanha para sensibilizar a sociedade para um flagelo que "só em Portugal atingirá 1.400 pessoas", segundo um comunicado da Câmara.

"As mulheres e as crianças continuam a ser os grupos mais vulneráveis ao tráfico humano, que afeta 2,4 milhões de pessoas em todo o mundo por ano", indicam aquelas entidades.

A campanha, que se enquadra no I Plano Municipal para a Integração Imigrante de Lisboa, para o biénio 2015-17, pretende "despertar a população em geral para este fenómeno que é, muitas vezes, invisível".

No ano passado, a APF, que tem estado ativamente envolvida em diferentes projetos ligados ao Tráfico de Seres Humanos, interveio em mais de uma centena de processos de sinalização.

A associação gere também em Portugal uma casa onde apoia mulheres vítimas deste tipo de tráfico.

Lusa

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.