sicnot

Perfil

País

Campanha contra tráfico de seres humanos reserva lugares no Metro de Lisboa

© Reuters

O Metro de Lisboa tem hoje lugares vazios reservados que representam o lugar de alguém que desapareceu, naquela que é uma campanha contra o tráfico de seres humanos, revelou a Câmara Municipal, parceira da iniciativa.

Para assinalar o Dia Europeu de Combate ao Tráfico de Seres Humanos, que hoje se comemora, a autarquia lisboeta, a Associação para o Planeamento da Família (APF) e o Metro juntaram-se numa campanha para sensibilizar a sociedade para um flagelo que "só em Portugal atingirá 1.400 pessoas", segundo um comunicado da Câmara.

"As mulheres e as crianças continuam a ser os grupos mais vulneráveis ao tráfico humano, que afeta 2,4 milhões de pessoas em todo o mundo por ano", indicam aquelas entidades.

A campanha, que se enquadra no I Plano Municipal para a Integração Imigrante de Lisboa, para o biénio 2015-17, pretende "despertar a população em geral para este fenómeno que é, muitas vezes, invisível".

No ano passado, a APF, que tem estado ativamente envolvida em diferentes projetos ligados ao Tráfico de Seres Humanos, interveio em mais de uma centena de processos de sinalização.

A associação gere também em Portugal uma casa onde apoia mulheres vítimas deste tipo de tráfico.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras