sicnot

Perfil

País

EPAL pede aos condutores que evitem a Av. Defensores de Chaves em Lisboa

A EPAL recomendou hoje aos condutores que escolham percursos alternativos à Avenida Defensores de Chaves, em Lisboa, que se encontrada cortada ao trânsito desde as 05:20 devido à rutura de uma conduta de água.

Em comunicado, a empresa responsável pelo abastecimento de água à cidade de Lisboa, indicou que devido à rutura na conduta estão previstas "fortes limitações de trânsito na zona do Campo Pequeno e Avenida da República".

Nesse sentido, a empresa pede aos condutores para escolherem percursos alternativos.

"Neste momento, são poucos os clientes da EPAL afetados, uma vez que já se procedeu a manobras na rede para garantir o abastecimento na zona", é referido.

No comunicado, a empresa sublinhou ainda que a "está já no local a desenvolver trabalhos para que a situação volte à normalidade o mais rápido possível".

A Polícia Municipal adiantou à Lusa que a entrada para a estação do Metro no Campo Pequeno está "temporariamente encerrada para limpeza".

Uma fonte dos Sapadores Bombeiros de Lisboa adiantou hoje à Lusa que o trânsito está cortado desde as 05:20 no entroncamento entre as avenidas Defensor de Chaves e João XXI, em Lisboa, devido a uma rutura de uma conduta de água.

A mesma fonte disse à agência Lusa que a rutura na conduta de água ocorreu às 05:20, na Avenida Defensor Chaves, junto ao Campo Pequeno, em Lisboa, tendo causado inundação na via pública.

No local encontram-se elementos da EPAL, do Regimento de Sapadores de Bombeiros de Lisboa, da PSP e da polícia municipal.

Lusa

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.