sicnot

Perfil

País

GNR mantém o mesmo dispositivo para deter suspeito de crimes de Aguiar da Beira

PAULO NOVAIS

A GNR mantém o mesmo dispositivo das últimas horas no terreno para tentar deter o suspeito dos assassínios de Aguiar da Beira, com a preocupação de "garabntir a segurança das populações".

O responsável das Relações Públicas da GNR, major Mário Cruz, adiantou à agência Lusa que se "mantém o mesmo dispositivo que está a realizar ações de patrulhamento para localizar o presumível homicida", acrescentando que estas se estendem até Vila Real.

Neste momento, o objetivo da GNR é o de "garantir a segurança das populações" para que "não se sintam inseguras" com os acontecimentos dos últimos dias.

"Entendemos que a população esteja preocupada com esta situação", declarou.

A operação envolve também elementos da Polícia Judiciária (PJ), responsável pela investigação do caso, uma vez que houve mortes e uso de armas de fogo.

Pedro Dias, o homem suspeito de matar um militar e um civil, em Aguiar da Beira, distrito da Guarda, além de ter causado ferimentos a outras duas pessoas, uma delas também militar da GNR, tem sido procurado pela GNR e pela Polícia Judiciária desde o dia 11, data dos primeiros acontecimentos.

Na fuga, o homem terá sido já localizado em Arouca, distrito de Aveiro, de onde será natural, e na zona de São Pedro do Sul, onde um militar da GNR se terá baleado a si próprio, numa queda.

No domingo, uma patrulha da GNR também terá localizado o suspeito, em Vila Real, mas o homem acabou por conseguir novamente fugir.

Na segunda-feira, ao final da tarde, junto à aldeia de Carro Queimado, naquele concelho transmontano, foi encontrada a viatura que o homem terá roubado em Arouca para se deslocar até Vila Real. Em Arouca, o homem também terá sequestrado duas pessoas, causando-lhes igualmente alguns ferimentos.

Lusa

  • Suspeito de Aguiar da Beira tem uma "perturbação de personalidade antissocial"
    7:09

    País

    O suspeito de dois homicídios em Aguiar da Beira está desaparecido há mais de uma semana. A editora de Sociedade da SIC Isabel Horta e o psicólogo forense Mauro Paulino estiveram no Jornal da Noite a analisar o caso. Mauro Paulino diz que os dados sugerem que o homem tem uma "perturbação de personalidade antissocial". O psicólogo forense afirma que o suspeito quer manter o controlo sobre a situação - daí estar a fugir por sítios que conhece - e que é perigoso para a sociedade. Já Isabel Horta diz que a mediatização dada ao caso não está a ajudar e fala sobre a intervenção da GNR no caso, que não tem "qualquer enquadramento legal". A editora de Sociedade diz ainda que esta intervenção pode causar uma reação negativa, que pode levar a um desfecho que não será favorável.

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.