sicnot

Perfil

País

Maior reserva portuguesa de veados está a ser pilhada pela caça clandestina

© Dylan Martinez / Reuters

A maior reserva portuguesa de veados, a Zona Nacional de Caça da Lombada, no Parque Natural de Montesinho, em Bragança, está a ser pilhada pela caça clandestina, denunciaram entidades ligadas ao setor, que reclamam mudanças na gestão.

O presidente da Câmara de Bragança, Hernâni Dias, garantiu à Lusa que vai voltar a colocar a questão ao secretário de Estado adjunto do Ambiente, na abertura da feira Norcaça, Norpesca e Norcastanha, que decorre, em Bragança, entre 27 e 30 de outubro.

O autarca social-democrata adiantou que esta questão se arrasta há anos e é do conhecimento de vários governos, mas continua sem solução e a impedir o retorno para o território do potencial existente a nível cinegético e turístico.

"Em termos de riqueza cinegética a Lombada é um diamante por poluir", segundo Júlio de Carvalho, um nome ligada à caça na região e autor da Lei da Caça em vigor em Portugal.

Segundo explicaram, a Zona de Caça da Lombada foi criada há cerca de três décadas e tem a gestão pública do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), encontrando-se no território do Parque Natural de Montesinho.

O que se passa neste espaço cinegético é comparado pelos interlocutores "à degradação das casas abrigo do Parque Natural de Montesinho", que durante anos enchiam-se de turistas, principalmente no inverno, e agora encontram-se ao abandono e vandalizadas.

Queixam-se de que falta fiscalização e reclamam uma mudança de gestão com a participação da Câmara, junta de freguesia, organizações e caçadores locais para esta zona essencialmente da chamada caça grossa.

"Há um problema que é da caça clandestina que abate a esmagadora maioria dos efetivos que lá existem e isso traduz-se obviamente numa perda", apontou o presidente da Câmara.

Para o autarca, "se tudo funcionasse de uma forma normal e houvesse uma exploração correta daquela zona de caça, o número de animais que seriam batidos de forma legal teriam um retorno financeiro" para o território.

Hernâni Dias apontou o exemplo da Serra da Culebra, em Espanha, ao lado da Lombada, "que tem efetivamente um retorno financeiro muito grande e tem também, sob o ponto de vista turístico, esse efeito positivo".

"Era isso que nós gostaríamos que acontecesse aqui", vincou.

O autarca salientou que "na Zona de Caça da Lombada é onde existe o maior efetivo de veados do país" e pergunta: "onde é que eles estão, quem é que os abate, quem os consome?"

"Se não existe (fiscalização) é normal que as pessoas enveredem pelo caminho da clandestinidade e abatam os animais que deveriam ser abatidos de forma legal e que teriam um impacto financeiro para a entidade gestora", observou.

As autoridades locais acreditam que com uma gestão diferente, a Lombada podia "trazer gente de fora", caçadores e as suas famílias, que se instalariam nos hotéis, nas casas de turismo rural, nos alojamentos locais.

Mas, também na perspetiva turística são apontados problemas, com críticas ao facto de só ser permitida a caça ao domingo naquela zona, o que não é considerado atrativo para potenciais caçadores e visitantes se deslocarem e ficarem na região ao fim de semana.

"É necessário que aquela zona de caça tenha uma atenção especial por parte das entidades gestoras para que possamos ter uma zona de caça devidamente gerida para que resultem benefícios para todos", defendeu o presidente da Câmara de Bragança.

Lusa

  • Admissão de efetivos nas Forças Armadas aquém do pedido pelas chefias
    1:42

    País

    O Ministério das Finanças autorizou a admissão de mais efetivos nas forças armadas, este ano mas a integração fica muito abaixo do número pedido pelas chefias militares. Mário Centeno só terá autorizado a integração de cerca de três mil militares em vez das cinco mil vagas propostas pelas chefias do Exército, Força Aérea e Marinha.

  • Primeiro eclipse solar 100% visível nos EUA em 38 anos
    0:40
  • Pyongyang acusa Washington de atirar "achas para a fogueira"
    1:47

    Mundo

    A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram esta segunda-feira exercícios militares conjuntos. As manobras militares procuram ensaiar respostas a uma hipotética invasão da Coreia do Norte. Pyongyang já reagiu e diz que Washington está a atirar "achas para a fogueira". 

  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08
  • Morreu o rei da comédia
    2:08

    Cultura

    Um dos grandes nomes do humor norte-americano morreu ontem, aos 91 anos. Jerry Lewis era comediante, ator, argumentista, cantor e realizador. Considerado o rei da comédia, Lewis influenciou diferentes gerações de comediantes e foi defensor de várias causas humanitárias, entre as quais a distrofia muscular.

  • A insólita entrevista de Jerry Lewis que se tornou viral
    2:39

    Cultura

    Jerry Lewis concedeu no início deste ano uma entrevista insólita que se tornou viral nas redes sociais. O comediante decidiu, pura e simplesmente, não colaborar com o entrevistado. Lewis tinha na altura 90 anos e continuava a trabalhar, tendo participado no filme "Max Rose", em 2016.