sicnot

Perfil

País

Ministro quer exames realizados dentro do SNS sem recorrer a convencionados

O Governo vai arrancar em 2017 com a criação de centros de responsabilidade integrada e vai criar incentivos para que os exames médicos se realizem dentro do Serviço Nacional de Saúde (SNS), sem recorrer a convencionados.

O anúncio foi feito hoje pelo ministro da Saúde durante a comissão parlamentar, onde foi chamado para prestar esclarecimentos sobre o despacho que obriga os hospitais a controlar a despesa.

Falando já sobre política geral de saúde, Adalberto Campos Fernandes revelou que "vai arrancar finalmente com a criação de centros de responsabilidade integrada" e que está a ser estudada a inclusão no SIGIC (programa de combate às listas de espera) da possibilidade de pagar incentivos para a realização de Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica (MCDT).

De acordo com Adalberto Campos Fernandes, a "única limitação para a internalização" são os direitos de acesso, que preveem tempos máximos de resposta garantidos para o acesso àqueles cuidados de saúde.

Com os centros de responsabilidade integrada será possível realizar mais exames diferenciados dentro do SNS, segundo o ministro, para quem o ideal é internalizar o mais possível os exames, sem ter de estar a pagar aos convencionados.

O ministro revelou ainda que até ao final do ano estarão aprovados mais de 60 medicamentos inovadores, o que constitui um "número recorde".

Sobre as unidades hospitalares, ficou a saber-se que o Hospital do Oeste vai passar a Entidade Pública Empresarial, que no próximo ano serão iniciados os trabalhos de lançamento de concurso para construção do Hospital do Oriente (que não estará concluído antes de 4/5 anos) e que o Algarve "merece a equação de um hospital central de cariz universitário".

O ministro anunciou ainda a construção de 34 centros de saúde no próximo ano, alguns já em execução, no âmbito de protocolos com autarquias.

Serão ainda construídos fora destes protocolos, apenas sob a responsabilidade da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, mais dois centros de saúde em 2017: um em Corroios (Seixal) e outro em Peniche.

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.