sicnot

Perfil

País

Transportes públicos, Uber e assédio no local de trabalho no Parlamento em janeiro

M\303\201RIO CRUZ

Os transportes públicos, a Uber, o assédio sexual no local de trabalho e o regime de férias nos setores público e privado serão alguns dos temas a debater pelos deputados no regresso aos trabalhos parlamentares depois da pausa do Natal.

O primeiro debate quinzenal com o primeiro-ministro de 2017 também ficou esta quarta-feira agendado para 17 de janeiro.

Segundo o porta-voz da conferência de líderes, o deputado do PSD Duarte Pacheco, só será possível a realização do debate nessa data porque no início do mês o primeiro-ministro, António Costa, irá estar fora do país, em visita à Índia e depois ainda se irá deslocar a Davos, na Suíça.

Depois da pausa do Natal, o primeiro plenário está agendado para dia 05 de janeiro e, além de um período reservado para declarações políticas, irão estar em debate duas petições, uma a favor do funcionamento da plataforma eletrónica Uber e outra contra.

No dia seguinte, 06 de janeiro, será apreciada uma proposta de lei do Governo sobre notificações eletrónicas, um projeto de lei do PSD sobre competições desportivas e sanções por uso de 'doping', um projeto de lei do PS relativo ao ensino de português no estrangeiro e um projeto de lei do BE sobre o Programa de Realojamento.

Na semana seguinte, para 11 de janeiro o BE agendou um debate de urgência sobre transportes públicos. Da agenda do plenário desse dia fazem ainda parte um projeto de lei do CDS-PP sobre a conta de gestão florestal, uma apreciação parlamentar do PCP sobre bolseiros de investigação científica e um projeto de lei do PEV que propõe que a terça-feira de Carnaval seja feriado.

No dia 12 de janeiro, o plenário da Assembleia da República terá como primeiro ponto declarações políticas, seguindo-se a discussão de petições.

Para 13 de janeiro, o PSD agendou um debate potestativo (direito de impor a ordem do dia), mas ainda não indicou o tema da discussão.

Na terceira semana de janeiro e, ao contrário do que é habitual, os plenários ficaram agendados para terça, quarta e quinta-feira, sendo a sexta-feira reservada para as comissões parlamentares que normalmente se realizam às terças-feiras.

Assim, logo para terça-feira, 17 de janeiro, está marcado o primeiro debate quinzenal do ano com o primeiro-ministro.

No dia 18 de janeiro irá discutir-se o projeto de lei do BE sobre assédio sexual no local de trabalho, um projeto de lei do PCP sobre o regime de férias do setor público e do setor privado, um projeto de lei do PSD que regula o regime dos bombeiros e um projeto de resolução do PS que prevê a criação de um selo de garantia para as empresas que façam recrutamento de jovens.

Relativamente ao regime de férias do setor público e do setor privado, o BE também anunciou que irá apresentar um diploma.

Para 19 de janeiro ficou marcado um debate com membros do Governo, tendo o CDS-PP proposto que seja o ministro da Saúde a participar.

No dia 25 de janeiro o plenário ficou reservado para um agendamento potestativo do BE, ainda sem tema, enquanto no dia 27 irá realizar-se o segundo debate quinzenal do mês com o primeiro-ministro.

Lusa

  • Maria Cavaco Silva "muito espantada" com caso Raríssimas
    0:56

    País

    Maria Cavaco Silva disse hoje que ficou surpreendida e preocupada com as suspeitas de irregularidades na associação Raríssimas. A ex-primeira dama garante que desconhecia a situação e afirma que Portugal não é "abonado" ao ponto de poder desperdiçar o trabalho feito, lembrando que os utentes não podem sofrer com a polémica.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • "O futuro da Autoeuropa não está em causa"
    0:43

    Economia

    O secretário de Estado do Trabalho apelou a que os partidos não se intrometam nas negociações entre os trabalhadores e a administração da Autoeuropa. Em entrevista à Edição da Noite da SIC Notícias, Miguel Cabrita afastou a hipótese de estar em causa o encerramento da fábrica de Palmela. 

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28