sicnot

Perfil

País

Campanha de divulgação do complemento para idosos já motivou 10 mil novos pedidos

© Rafael Marchante / Reuters

A campanha de divulgação do Complemento Solidário para idosos (CSI) já chegou a mais de 100 mil potenciais beneficiários e mais de 10 mil pessoas já entregaram, presencialmente, nos serviços da Segurança Social, o requerimento para este apoio.

Os dados foram divulgados esta sexta-feira pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS), que adiantou que depois de uma campanha de divulgação do CSI nos meios de comunicação social, entre 11 de novembro e 01 de dezembro, esta decorre agora numa estratégia "mais alargada de divulgação" deste complemento, que inclui iniciativas como o envio de cartas a 108.051 potenciais beneficiários deste apoio social.

"Do total dos 32.359 atendimentos presenciais nos serviços de atendimento da Segurança Social de todo o país no mesmo período [11 de novembro a 23 de dezembro], 21.696 referiram-se a pedidos de informação sobre o CSI e 10.663 a entrega de requerimentos para este complemento", adiantou uma nota do MTSSS.

Quanto à linha telefónica criada exclusivamente para atendimentos relacionados com o CSI (300 51 31 31), recebeu, até esta sexta-feira, um total de 5.537 chamadas, "verificando-se um aumento contínuo do número de atendimentos nas primeiras três semanas da campanha".

A linha geral dos serviços da Segurança Social registou "4.479 atendimentos, relacionados com pedidos de esclarecimento sobre o CSI, continuando em funcionamento e disponível para o esclarecimento de todas as dúvidas relacionadas com esta prestação social".

A nota enviada pela tutela refere ainda que a entrada em vigor do Orçamento do Estado para 2017 vai permitir "dar continuidade à ação de divulgação do CSI", uma vez que prevê "a cooperação entre as forças de segurança e os serviços da segurança social no âmbito da proteção da população idosa".

Perto de 161 mil idosos beneficiaram do Complemento Solidário em novembro, o que representou um aumento de 708 pessoas em relação a outubro, mas um decréscimo de mais de 4.500 beneficiários relativamente ao ano passado.

De acordo com os dados mais recentes do Instituto de Segurança Social (ISS), no mês de novembro houve 160.923 beneficiários do Complemento Solidário para Idosos (CSI), o que representa um aumento de 0,44% em relação aos 160.215 idosos que receberam esta prestação social em outubro.

Já comparando com o período homólogo, a tendência é inversa e representa uma diminuição de 4.543 pessoas, já que em novembro de 2015 havia 165.466 idosos a receber o CSI.

Ainda em relação ao mês de novembro, os dados do ISS revelam que, no global, são sobretudo as mulheres que recebem esta prestação, havendo 112.974 idosas contra 47.949 homens.

Lusa

  • Portugal com 3.ª maior dívida pública da UE

    Economia

    A dívida pública recuou, em termos homólogos, na zona euro e na União Europeia (UE), no primeiro trimestre, tendo Portugal registado a terceira maior dos 28 (130,5%), depois da Grécia e de Itália, divulga hoje o Eurostat.

  • Crianças no Daesh - 2ª Parte
    23:43
  • Montenegro e o futuro do PSD: "Não vou pedir licença para avançar"
    1:41

    País

    Luís Montenegro admite que se achar que é a pessoa ideal para a liderança do PSD, não vai pedir licença a ninguém para avançar. Em entrevista à SIC Notícias, o ex-líder parlamentar do PSD diz que está ao lado de Passos Coelho mas sublinha que é importante que haja uma clarificação na liderança do partido.

    Entrevista SIC Notícias

  • "Estes engenheiros não tiveram formação para exercer arquitetura"
    7:00

    País

    O Parlamento aprovou esta quarta-feira as propostas do PSD e do PAN para devolver aos engenheiros a possibilidade de assinarem projetos de arquitetura. Os aquitetos discordam da medida. José Manuel Pedreirinho, presidente da Ordem dos arquitetos, esteve na Edição da Noite da SIC Notícias para falar sobre o assunto.

    Entrevista SIC Notícias

  • "Foi uma grande honra ser deputado"
    1:23

    País

    Alberto Martins vai deixar a vida política, o socialista renunciou esta quarta-feira ao cargo de deputado, que ocupava há 30 anos, com algumas interrupções. Alberto Martins desempenhou funções de ministro da Reforma do Estado no segundo Governo de António Guterres, e de ministro da Justiça no segundo Executivo liderado por josé Sócrates. O socialista vai ser substituído por Hugo Carvalho.