sicnot

Perfil

País

Centro Hospitalar do Algarve sem urgência de Ortopedia até segunda-feira

(Arquivo)

SIC

O Centro Hospitalar do Algarve (CHA) não vai ter urgência de Ortopedia entre este sábado e segunda-feira, serviço que vai ser assegurado por um grupo hospitalar privado da região, advertiu o deputado do PSD Cristóvão Norte.

De acordo com um despacho, datado de sexta-feira e assinado pelo diretor do Departamento de Emergência, Urgência e Cuidados Intensivos do CHA, a urgência de Ortopedia será assegurada entre hoje e segunda-feira pelo Hospital Particular do Algarve e os casos mais graves serão encaminhados para o Hospital de Santa Maria, lê-se no documento, divulgado pelo parlamentar.

De acordo com o a administração do CHA, a situação de carência resulta da "falta de profissionais e da insuficiente oferta de prestadores de serviços nesta altura do ano", pois para haver escalas de urgências equilibradas são necessários seis profissionais durante 24 horas por dia.

"Por isso, grande parte do trabalho de urgência tem que ser assegurado com recurso ao trabalho extraordinário dos profissionais que se voluntariam, mas como é óbvio também têm limites físicos", referiu o presidente do Conselho de Administração do CHA, Joaquim Ramalho, em resposta escrita enviada à agência Lusa.

Para Cristóvão Norte, estes episódios "têm sido cada vez mais recorrentes", razão pela qual o parlamentar vai dirigir um requerimento ao ministro da Saúde sobre o problema, ainda que não seja possível resolvê-lo em tempo útil.

Ao todo, o CHA dispõe de 16 especialistas de Ortopedia, número que Joaquim Ramalho reconheceu ser "claramente inferior ao necessário" e que levou a administração a tomar a opção que considerou ser a que "garante cuidados adequados e maior proximidade sem enviar ninguém para fora da região".

Lembrando que é habitual, nesta altura do ano, que não haja oferta de mercado "que permita reforçar as equipas através de contratação temporária de mais recursos", o presidente do Conselho de Administração do CHA garantiu, contudo, que, "para o resto do ano a situação está regularizada".

Em caso de urgência, mesmo que esteja relacionada com Ortopedia, os utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) não devem ir diretamente para qualquer unidade de saúde privada, devendo antes dirigir-se a um serviço de urgência do CHA, que depois fará o encaminhamento, em caso de necessidade, concluiu.

Lusa

  • Centro Hospitalar do Algarve deverá ser extinto em 2017
    2:10

    País

    O Centro Hospitalar do Algarve deverá ser extinto no próximo ano e depois da separação dos hospitais de Faro, Portimão e Lagos. Faro deverá passar a hospital universitário. A proposta da Administração Regional de Saúde deverá ser confirmada dentro de dias pelo ministro da Saúde.

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • EUA negam ter declarado guerra à Coreia do Norte

    Mundo

    Os Estados Unidos negaram esta segunda-feira ter declarado guerra à Coreia do Norte e frisaram que Pyongyang não pode disparar contra os seus aviões em águas internacionais, em resposta a uma ameaça do ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.