sicnot

Perfil

País

Mensagem do primeiro-ministro cria expetativas na educação

Secretário-geral da FENPROF, Mário Nogueira.27 de junho de 2016.

Tiago Petinga

A mensagem de Natal do primeiro-ministro deixou os diretores escolares com as "expetativas ao rubro" no que diz respeito ao investimento na escola pública, mas a Fenprof alerta que o Orçamento do Estado para 2017 não acompanha o discurso.

Em declarações à Lusa, o presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), Filinto Lima, disse que "não é normal que a mensagem de Natal do primeiro-ministro dedique quase cinco minutos exclusivamente a falar de educação", mas frisa que "é preciso passar das palavras aos atos".

"As expectativas estão ao rubro. A educação entrou na agenda política do próximo ano", disse Filinto Lima, que acrescentou que "se no início do ano civil não houver um sinal para as escolas de que não era só discurso político, será mau sinal".

Contratação de mais funcionários, professores e técnicos para as escolas seriam um sinal positivo, no entendimento dos diretores.

Já a Federação Nacional dos Professores (Fenprof), num comunicado hoje enviado com uma mensagem do seu secretário-geral, Mário Nogueira, a propósito da mensagem do primeiro-ministro, mostrou-se cautelosa nas expectativas em relação ao discurso.

"A questão a que só 2017 nos responderá é se as palavras terão correspondência na prática governativa. Não se trata de qualquer desconfiança em relação às intenções do Primeiro-Ministro, mas basta olhar para o Orçamento recentemente aprovado para a Educação para perceber que, no próximo ano, o investimento continuará adiado", refere o texto da Fenprof.

A federação sindical, à semelhança do que já havia feito em momentos anteriores, alerta para uma crescente dependência das verbas comunitárias para financiar a educação.

"Portugal não poderá viver sob a crescente dependência das verbas comunitárias que, no quadro do Programa 2020, financiarão no futuro próximo a expansão da Educação Pré-Escolar e do Ensino Profissional. É preciso que tenha uma estratégia própria para esta área, assumindo, nomeadamente no quadro do Orçamento do Estado, a sua opção", acrescenta o comunicado.

Para a Fenprof, que entende que a mensagem de Natal do primeiro-ministro António Costa "foi positiva", tendo feito "subir muito as expectativas no setor da educação", é "legítimo e quase obrigatório que a malha do escrutínio aperte e o setor, de uma forma geral, se torne mais exigente".

O primeiro-ministro considerou na sua tradicional mensagem de Natal, divulgada no domingo, que o maior défice nacional é o do conhecimento e defendeu o combate à pobreza e à precariedade laboral em nome de uma "sociedade decente".

Na sua mensagem, o primeiro-ministro sustentou que o conhecimento "é a chave do futuro", razão pela qual o seu executivo fixou como "objetivo fundamental generalizar o ensino pré-escolar a todas as crianças a partir dos três anos de idade" e "lançar o programa Qualifica, dirigido especialmente à educação e formação dos adultos".

"Para termos uma cidadania exigente e informada, para termos melhores empregos, empresas mais produtivas e uma economia mais competitiva, temos de investir na cultura e na ciência, na educação e na formação ao longo da vida. Queremos construir uma sociedade decente em que todos possam aceder ao conhecimento", afirmou.

Lusa

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.