sicnot

Perfil

País

"Geringonça" mantém liderança da "Palavra do Ano"

Os vocábulos "geringonça" e "campeão" mantêm a liderança da lista de candidatos à "Palavra do Ano", votação que termina no dia 31 e que já recebeu "mais de 22.000 votos", disse à Lusa fonte editorial.

Na lista de dez finalistas, não há alterações no pelotão da frente, "as palavras "geringonça" e "campeão" lideram a eleição, com "brexit" e "presidente" por perto", mas registam-se "duas pequenas alterações, "turismo" ultrapassou "racismo" e "humanista" ultrapassou "empoderamento'", adiantou fonte da Porto Editora, que organiza a iniciativa.

À "presidente" no 4.º posto segue-se "turismo" e na segunda metade da lista estão por esta ordem, "racismo", "humanista", "empoderamento", "parentalidade" e, em último, "microcefalia".

"O número de votos continua a aumentar e já ultrapassamos os 22.000 votos, ou seja mais 2.000 do que o ano passado", disse a mesma fonte.

A votação em www.palavradoano.pt prossegue até ao final do mês, e a palavra vencedora será conhecida no dia 04 de janeiro de 2017, às 10:30, numa cerimónia a realizar na Biblioteca Municipal José Saramago, em Loures, nos arredores de Lisboa.

A escolha das dez palavras finalistas foi resultado "do trabalho permanente de observação e acompanhamento da realidade da língua portuguesa, levado a cabo pela Porto Editora, através da análise de frequência e distribuição de uso das palavras e do relevo que elas alcançam, tanto nos meios de comunicação e redes sociais, como no registo de consultas "online" e "mobile" dos dicionários da editora, tendo em consideração também as sugestões dos portugueses através do site www.palavradoano.pt".

A eleição da Palavra do Ano, na sua oitava edição, "já faz parte do calendário dos portugueses, tal a curiosidade que desperta e a participação crescente nas votações, na ordem das dezenas de milhares, apesar de se fazer exclusivamente "online'", disse à Lusa fonte da editora.

As palavras eleitas nas edições anteriores foram "esmiuçar" (2009), "vuvuzela" (2010), "austeridade" (2011), "entroikado" (2012), "bombeiro" (2013), "corrupção" (2014) e "refugiado" (2015).

Lusa

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.