sicnot

Perfil

País

Operação Ano Novo da GNR registou 658 acidentes, com 7 mortos e 8 feridos graves

A GNR registou durante a Operação Ano Novo 658 acidentes rodoviários, dos quais resultaram sete mortos, oito feridos graves e 189 feridos ligeiros, informou esta terça-feira a Guarda Nacional Republicana.

Durante os quatro dias (30 de dezembro a 02 de janeiro) da operação de patrulhamento e fiscalização rodoviária nos itinerários mais ligados às festividades do Ano Novo, a GNR, comparativamente a igual período de 2015, registou mais 10 acidentes e mais dois mortos.

Em contrapartida, houve menos cinco feridos graves e menos 20 feridos ligeiros relativamente ao ano anterior.

Quanto às infrações, a GNR detetou, em igual período, 1756 casos por excesso de velocidade (menos 56 do que em 2015), 603 por condução sob efeito do álcool no sangue igual ou superior a 1,2 gramas/litro (menos 16), 167 por incorreta ou não utilização do cinto de segurança (mais 30) e 158 por utilização indevida do telemóvel durante a condução (mais 37).

A GNR observa que dados recentes indicam que um em cada três condutores mortos em acidentes de viação conduzia com uma taxa ilegal de álcool no sangue.

Relativamente aos números combinados da Operação Natal e Ano Novo, a GNR contabilizou 1408 acidentes (mais 136 do que em 2015), oito mortos (menos quatro), 16 feridos graves (menos 17) e 429 feridos ligeiros (mais 24).

Lusa

  • Balanço da Operação Ano Novo da GNR
    4:46

    Edição da Manhã

    A operação de reforço do patrulhamento terminou à meia noite de ontem e os dados, ainda provisórios, apontam para mais acidentes que no ano passado: 658 acidentes, 7 mortos, 8 feridos graves e 189 ligeiros. O Major Paulo Gomes, da Divisão de Trânsito da GNR, esteve na Edição da Manhã para o balanço desta operação.

  • PSP e GNR reforçam patrulhamento nas estradas durante o Ano Novo
    2:24

    País

    A Operação Ano Novo decorre até segunda-feira com as autoridades a reforçarem o patrulhamento nas estradas de norte a sul do país. PSP e GNR estarão atentas à condução sob o efeito de álcool e drogas. A PSP publicou ainda um vídeo nas redes sociais que está a tornar-se viral.

  • Operação "Ano Novo" da GNR nas estradas
    1:44

    País

    A partir desta sexta-feira, a GNR reforça o patrulhamento e a fiscalização nas estradas de norte a sul do país, com especial enfoque para a zona litoral. O foco está nas infrações típicas da época festiva, como o excesso de álcool ou uso do telemóvel enquanto se conduz.

  • 4 mortos na estrada nas primeiras 24 horas da Operação Ano Novo
    2:18

    País

    Nas primeiras 24 horas da Operação Ano Novo morreram quatro pessoas nas estradas portuguesas. Duas ficaram feridas com gravidade e 57 com ferimentos ligeiros, num total de 220 acidentes desde ontem. Até segunda-feira, as autoridades reforçam o patrulhamento e a fiscalização nas estradas de norte a sul do país.

  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.