sicnot

Perfil

País

Índia constitui um imenso mercado por explorar, afirma Costa

Índia constitui um imenso mercado por explorar, afirma Costa

O primeiro-ministro considerou hoje que a Índia constitui um imenso mercado por explorar e anunciou que os Governos indiano e português vão assinar uma declaração conjunta visando a constituição de parcerias estratégicas em países terceiros.

As posições foram assumidas por António Costa no primeiro de seis dias de visita de Estado à Índia, em Deli, onde foi recebido com honras militares no Palácio Presidencial, antes de depor uma coroa de flores no Memorial de Gandhi.

Junto ao túmulo de Gandhi, o primeiro-ministro esteve descalço, tal como impõem as regras protocolares, tendo feito um minuto de silêncio e atirado pétalas para o túmulo do líder histórico da independência da Índia.

Após estas cerimónias, durante uma manhã fria e húmida na capital da Índia, António Costa falou aos jornalistas sobre as condições que Portugal tem de reunir para crescer mais a prazo do ponto de vista económico.

"A Índia é um imenso mercado por explorar, tal o grau de incipiência das nossas relações comerciais. Neste aspeto, as empresas em Portugal detidas por indianos podem desempenhar um papel muito importante nessa aproximação", defendeu o primeiro-ministro.

Uma hora depois, já como convidado de uma conferência da Fundação do Observatório para a Investigação, intitulada "A Índia e o espaço lusófono", António Costa referiu-se a resultados já alcançados ao nível político entre os executivos de Deli e de Lisboa.

"Quero aqui sublinhar com júbilo que, durante esta visita, será assinada entre a Índia e Portugal uma declaração conjunta visando a cooperação com países terceiros. Este instrumento assegura o enquadramento para que possamos colaborar em áreas de interesse comum em outros países, nomeadamente lusófonos", disse.

Num dos 'think-thanks' mais influentes da Índia, António Costa procurou apresentar Portugal como uma economia aberta, com uma diplomacia multilateralista, desempenhando "um papel de ponte entre diferentes culturas e civilizações".

"Se o relacionamento entre a Índia e Portugal tem uma longa e riquíssima História, ele assume também um futuro promissor. Somos velhos conhecidos e podemos ser cada vez mais novos parceiros. A Índia é uma grande potência do presente e do futuro", declarou.

Já no período de perguntas, António Costa foi questionado por uma senhora sobre "o enorme peso" que as empresas chinesas têm na economia portuguesa, algumas delas concorrentes de importantes firmas da Índia.

O primeiro-ministro, na sua resposta, voltou então a recorrer à imagem de Portugal como um país de economia aberta, alegando, depois, que Portugal "não tem apenas investimento direto chinês, como também norte-americano, brasileiro ou de países europeus".

"Somos um país de portas abertas e o investimento direto estrangeiro tem sido muito bem-sucedido em Portugal. É com gosto que aguardamos investimento indiano", completou o primeiro-ministro.

António Costa foi também questionado sobre a forma como Portugal poderá ajudar a aproximar a Índia de Moçambique, país com o qual possui relações históricas.

"É precisamente aqui que a cooperação trilateral tem grandes vantagens. Portugal tem uma presença forte em Moçambique a todos os níveis, mas a Índia também pode ajudar Portugal em mercados asiáticos que conhece bem", exemplificou o líder do executivo português.

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.