sicnot

Perfil

País

FNE marca greve de trabalhadores não docentes para 3 de fevereiro

A Federação Nacional da Educação decidiu marcar greve de trabalhadores não docentes para 3 de fevereiro, por todas as propostas que apresentou ao Ministério da Educação para este setor terem caído "em saco roto", foi esta quinta-feira anunciado.

A FNE junta-se assim à paralisação já anunciada pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS) e pela Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP) para exigir a reposição de carreiras especiais para os funcionários das escolas, bem como o descongelamento das progressões e níveis remuneratórios.

Os sindicatos reclamam também mais funcionários para as escolas, criticando a colocação de tarefeiros pagos à hora por um valor "ridículo".

A greve visa "alertar o governo contra a precariedade, a falta de valorização destes trabalhadores", disse em conferência de imprensa realizada em Lisboa o secretário-geral da FNE, João Dias da Silva.

Os trabalhadores pretendem, assim, dizer ao governo que "não aceitam a ausência de respostas" relativamente às propostas que os sindicatos apresentaram.

A FNE enviou uma queixa ao Provedor de Justiça e lançou esta sexta-feira uma petição, que está disponível em papel e na sua página eletrónica, no sentido de levar a Assembleia da República a aprovar recomendações ao governo para a valorização do trabalho desempenhado por estes profissionais e o restabelecimento das carreiras especiais.

Durante a conferência de imprensa, o dirigente da FNE explicou que os funcionários das escolas foram integrados nas carreiras gerais da Administração Pública por legislação de 2012.

"O trabalho desenvolvido por estes trabalhadores exige formação específica. Este esforço não deve ser desbaratado", afirmou João Dias da Silva.

A FESAP anunciou na quarta-feira a intenção de emitir um pré-aviso de greve para pressionar o governo a resolver as situações de precariedade e a descongelar as carreiras dos trabalhadores não docentes.

No início do mês, a FNSTFPS anunciou a greve nas escolas e jardins-de-infância, em protesto contra a precariedade laboral e para exigir respeito pelos direitos dos trabalhadores.

Lusa

  • "Não vou ceder, não vou render-me, não vou desistir da candidatura"
    2:02
  • Obama, Presidente francês?
    1:55

    Mundo

    A resposta é óbvia, mas não demoveu quatro franceses, descontentes com os candidatos às Presidenciais no seu país. A ideia começou como brincadeira, mas já recolheu 43 mil assinaturas. 

  • Trump apanhado a ensaiar no carro
    1:08
  • Mulheres democratas de branco para mostrar que não abdicam dos diretos conquistados

    Mundo

    Uma "mancha branca" sobressaiu esta terça-feira no Congresso norte-americano, durante o primeiro discurso de Donald Trump. A maioria das 66 mulheres representantes e delegadas do Partido Democrata vestiram-se de branco, num ato simbólico a fazer recordar o movimento sufragista feminino, que encorajava as apoiantes a vestirem-se de branco. Tal como então, a cor da pureza foi agora recuperada, desta feita para mostrar a Trump que as mulheres não abdicam dos direitos conquistados no início do século XX.

  • Treinador do "The Biggest Loser" teve ataque cardíaco

    Mundo

    Foi o próprio Bob Harper que partilhou a notícia no seu Instagram. O ex-treinador do famoso programa de televisão sofreu um ataque cardíaco enquanto treinava no ginásio. Esteve oito dias internado mas, felizmente, já está em casa a recuperar.

  • Prisões recebem manual para lidar com fugas
    2:07

    País

    O Governo vai fazer o maior investimento de sempre nos serviços prisionais. São 2.600 milhões de euros para reforçar a segurança nas prisões. Entretanto. já foi distribuído um manual de procedimentos em caso de fuga.