sicnot

Perfil

País

Ministra da Administração Interna vai ao Parlamento explicar fugas do aeroporto de Lisboa

A ministra da Administração Interna vai ser ouvida no Parlamento para explicar as fugas de cidadãos argelinos do aeroporto de Lisboa e quais as medidas de segurança, na sequência de um requerimento do CDS/PP aprovado esta quarta-feira.

A audição de Constança Urbano de Sousa foi aprovada na Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias.

O deputado do CDS/PP Telmo Correio disse à agência Lusa que o requerimento do partido foi aprovado com a abstenção do PS e votos favoráveis dos restantes partidos.

Telmo Correia adiantou que o pedido de audição da ministra da Administração Interna foi feito "com a máxima urgência" e surge após a fuga, na passada quinta-feira, de mais dois cidadãos argelinos do aeroporto de Lisboa.

Esta foi a quarta vez, desde julho de 2016, que cidadãos estrangeiros tentam fugiram do aeroporto de Lisboa.

Para o CDS/PP, "não é normal" haver tantos incidentes no aeroporto de Lisboa com fugas de cidadãos estrangeiros, sendo uma matéria de segurança nacional que exige resposta urgente" do Governo.

O CDS/PP pretende "retomar a conversa" no ponto onde parou, quando a governante frisou, sobre casos anteriores, que "a segurança estava reforçada e o problema estava resolvido".

O partido quer saber quais as medidas aplicadas para reforço da segurança no aeroporto de Lisboa.

Os dois argelinos que fugiram na quinta-feira do aeroporto de Lisboa foram detidos no dia seguinte pela PSP na estação do Oriente, em Lisboa, e vão ser julgados em processo sumário a 27 de janeiro, por atentado à segurança de transporte e introdução em lugar vedado ao público.

O Ministério da Administração Interna considerou que se trata de mais um caso de tentativa de imigração ilegal.

Em outubro de 2016, o SEF e a PSP impediram a fuga de três passageiros chegados ao aeroporto de Lisboa num voo proveniente de Marrocos, numa ação que levou à detenção de seis cidadãos do norte de África que viajavam num voo oriundo de Casablanca, em Marrocos, com destino a Argel, capital da Argélia, com escala em Lisboa.

Em setembro, um cidadão de nacionalidade argelina, que fazia a viagem entre a Argélia e Casablanca, saiu ilegalmente do aeroporto de Lisboa.

No final de julho, quatro homens foram detidos pela PSP no aeroporto de Lisboa por violação das regras de segurança, ao terem tentado fugir ao controlo de passaportes e "numa zona restrita", mais concretamente na pista de aterragem.

Lusa

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Samsung vai vender modelos reparados do Galaxy Note 7

    Economia

    A Samsung Electronics anunciou hoje que vai vender e alugar telemóveis reparados do modelo Galaxy Note 7 depois de no ano passado a empresa ter decidido suspender a respetiva produção devido a incêndios nas baterrias de íon-lítio.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.