sicnot

Perfil

País

Frases do Presidente da República no primeiro ano de mandato

LUSA

Seleção de frases do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no primeiro ano de mandato.

"É o povo quem mais ordena, e foi o povo que me quis dar a honra de me eleger Presidente da República de Portugal."
Discurso de vitória como Presidente da República
24-01-2016

"Não há vencidos nestas eleições presidenciais. (...) Serei a partir de agora o Presidente de todas as portuguesas e de todos os portugueses, porque a Constituição o consagra e porque a minha consciência o dita."
Idem, ibidem

"É a minha função, a partir do momento em que tomar posse, contribuir para que haja um período de estabilização na vida política portuguesa, o que significa sem crises, sem ambiente de campanha eleitoral sistemático, porque (...) o país não pode viver sempre em campanha eleitoral."
23-02-2016

"Portugal é a razão de ser do compromisso solene que acabo de assumir."
Posse como Presidente da República
09-03-2016


"É no quadro desta Constituição - que, como toda a obra humana, não é intocável, mas que exige para reponderação consensos alargados, que unam em vez de dividir - que temos, pela frente, tempos e desafios difíceis a superar."
Idem, ibidem


"Estou a sentir que por um lado há um desejo de estabilidade, um desejo de desdramatização, de descompressão na vida política portuguesa e, por outro lado, há sinais de esperança. Temos é que fazer corresponder a esses sinais de esperança, passos de esperança."
11-03-2016

"Neste momento é fundamental que as pessoas se sintam próximas dos símbolos da pátria. A bandeira, o hino, o Presidente, o Palácio de Belém, mas sobretudo se sintam próximas umas das outras. A unidade é mais importante que a divisão dos portugueses."
12-03-2016

"É importante uma presença significativa [da banca] espanhola em Portugal, o que é diferente de haver um exclusivo. Não é uma posição exclusiva a um país, é uma posição de fundo."
17-03-2016

"Só em 2017 começaremos a ter uma resposta para este problema: como foi a execução [do Orçamento do Estado de 2016] , o modelo provou ou não provou. (...) A política é muitas vezes a arte do possível. Resta saber se o possível é suficiente."
28-03-2016

"Há um clima mais descrispado, mais sereno, mais calmo na vida portuguesa e é este viver de uma forma habitual naquilo que eu chamo estabilidade política, económica, social e financeira é bom para o país."
29-03-2016

"É bom que o presidente do Banco Central Europeu tenha a noção exata daquilo que se passa em Portugal."
Justificando a presença do Banco Central Europeu, Mario Draghi, no primeiro Conselho de Estado.
05-04-2016

"Eu acho um magnífico sinal, se querem que vos diga, o facto de o PSD ter apresentado várias propostas, porque isso é que é o debate em torno do Programa Nacional de Reformas, é cada um trazer os seus contributos."
06-04-2016

"Estou satisfeito pelo facto de ter sido fechado o acordo [no BPI entre Caixa Bank e Santoro Finance] . Foi obra da intervenção dos privados, das entidades reguladoras e dos órgãos do poder político. Sem a intervenção de todos não teria sido possível chegar onde se chegou."
11-04-2016

"Como Presidente da República Portuguesa, orgulho-me de estar aqui hoje perante esta assembleia e poder dizer: a Europa não faltou no auxílio a Portugal e Portugal honrou os seus compromissos, saindo de forma limpa do Programa de Ajustamento."
Intervenção no Parlamento Europeu
13-04-2016


"A democracia faz-se de pluralismo, de debate, de alternativa. Assim, quem se pretenda alternativa, de um lado e de outro, demonstre, em permanência, a humildade e a competência para tanto."
No discurso comemorativo do 25 de abril
25-04-2016

"Saudar os capitães de Abril é dever de todos os que, em Portugal, se louvam da democracia que o seu gesto patriótico permitiu instaurar."
Idem, ibidem

"Não há, neste momento, prioridade à revisão constitucional, o país tem outros problemas muito mais urgentes."
26-04-2016

"Os dados conhecidos ontem [da execução orçamental] respeitam ao primeiro trimestre. Quer isso dizer que embora já compreendam medidas adotadas pelo Governo, são ainda dados de aplicação do orçamento do ano passado [2015] ."
27-04-2016

"Não fazia sentido nenhum que partidos que viabilizaram o Orçamento do Estado há um mês e tal viessem a criar condições de crise a propósito do Programa de Estabilidade ou do Plano Nacional de Reformas."
29-04-2016

"Mal fora que o Presidente irradiasse infelicidade, azedume, má disposição com a vida e com os portugueses. Portanto, que bom isso ser reconhecido, haver um elogio ao Presidente que irradia aquilo que deve irradiar."
Comentando as declarações de Pedro Passos Coelho de que há "uma certa imagem de felicidade que irradia do Presidente"
01-05-2016

"Houve uma decisão da Comissão Europeia [não aplicação de sanções a Portugal por défice excessivo em 2015] . Nunca saberemos se foi devido a razões substanciais, se devido a eleições num país [Espanha] ."
18-05-2016


"Desiludam-se aqueles que pensam que o Presidente da República vai dar um passo sequer para provocar instabilidade neste ciclo que vai até às autárquicas. Depois das autárquicas, veremos o que é que se passa."
24-05-2016

"Angola sabe que Portugal é um irmão que olha para a sua pujança, para a sua potência e para o seu futuro com alegria e aposta."
02-06-2016

"É preciso tempo, é preciso paciência, é preciso espírito democrático, é preciso capacidade de dialogar. (...) Quando falo de consensos isso implica dar passos, não se faz consenso, acordos entendimento, de um dia para o outro."
05-06-2016

"Que não haja, fruto da aplicação da lei [35 horas semanais na Função Pública] , um aumento de despesas que signifique pôr em causa o Orçamento do Estado para 2016. Isso levar-me-ia a ter de pedir ao Tribunal Constitucional para apreciar se a lei afinal respeita ou não a Constituição."
08-06-2016

"Foi o povo quem, nos momentos de crise, soube compreender os sacrifícios e privações em favor de um futuro mais digno e mais justo. O povo, sempre o povo, a lutar por Portugal. Mesmo quando algumas elites - ou melhor, as que como tal se julgavam - nos falharam."
10-06-2016


"Estamos todos unidos em Portugal em relação aos refugiados. Portugal pensa, sente a uma só voz. Estamos juntos, e o povo português está junto, connosco. Estamos todos juntos recebendo-os, acolhendo-os como nossos irmãos."
20-06-2016

"Como Presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas serei inflexível na defesa das nossas Forças Armadas em todos os momentos, sem hesitações ou estados de alma."
25-06-2016

"Portugal está na União Europeia, sente-se bem na União Europeia e quer continuar na União Europeia. Quanto ao resto, a Constituição diz que a decisão sobre o referendo é do Presidente da República e, portanto, é uma questão que não se põe neste momento."
26-06-2016

"O bom senso imporia que não se aplicasse sanção nenhuma ao Governo de Passos Coelho, que não merece, e não aplicar sanção nenhuma ao Governo de António Costa que, na pior das hipóteses, ainda não merece, e na melhor das hipóteses nunca merecerá."
02-07-2016

"Este [o cogumelo maior] é o Presidente da República e este é o Governo que é [ o cogumelo] mais pequenino. Solidariedade institucional, o Presidente para aguentar o Governo por uns tempos."
05-07-2016

"Sofremos muito, mas mostramos aquilo que somos, resistentes, unidos, capazes de aguentar tudo. (...) É Portugal no seu melhor."
Após a conquista do Europeu de futebol depois de vencer na final a França por 1-0
10-07-2016


"Felizmente, em Portugal há hoje duas visões diferentes sobre a política no imediato. Isso é bom porque podia haver um pântano, um bloco central de interesses. Isso não existe."
04-09-2016

"É uma ilusão a ideia de que se pode decretar um dia: acabou a crise. No dia seguinte passamos todos a ter emprego e somos todos felizes. Isso não existe."
05-09-2016

"2016 ou 2017 não são 2011. Por muito que seja tentador para uns atacar o panorama que forçou ao memorando de entendimento e para outros atacar os que executaram esse memorando, é bom que se tenha presente que o mundo mudou e a Europa também."
16-09-2016


"A decisão quanto a este decreto baseia-se, antes do mais, na sua patente inoportunidade política."
Justificando o veto ao decreto do Governo sobre acesso da Autoridade Tributária a informação bancária
30-09-2016


"De cada vez que um responsável público se deslumbra com o poder, se acha o centro do mundo, se distancia dos governados, aparenta considerar-se eterno, alimenta clientelas, redes de influência de promoção social, económica e política, de cada vez que isso acontece aos olhos do cidadão comum é a democracia que sofre. É o 5 de outubro que se empobrece ou esvazia."
Na cerimónia comemorativa do 05 de outubro
05-10-2016

"É uma excelente notícia para as Nações Unidas, porque é o melhor candidato para o cargo, é uma excelente notícia para Portugal, porque é um português de enorme valor a ocupar o lugar mais importante da mais importante organização internacional."
Sobre o acordo no Conselho de Segurança para propor António Guterres como próximo secretário-geral das Nações Unidas
05-10-2016


"Já imaginou o que é consenso entre biliões de neurónios? Se é possível esse consenso há de ser possível o consenso entre meia dúzia de partidos."
No final de uma visita a um campus de biotecnologia em Genebra
17-10-2016

"Se há fundos públicos, não é possível nem desejável pagar [aos gestores da Caixa Geral de Depósitos] o que se pagaria se fosse um banco privado sem fundos públicos."
19-10-2016

"Como sabem, eu não era propriamente dos apoiantes [de Fidel Castro] , não direi da personagem em si mesmo, mas da política que representava. Em qualquer caso, há na vida personalidades com as quais concordamos ou não concordamos, mas que assinam um certo tempo."
26-10-2016

"Eu desde o início do mandato tenho adotado uma posição que é: não há porta-vozes meus, não há fontes de Belém, a única fonte de Belém sou eu, é o Presidente. E o Presidente, quando entende que deve falar, fala claro, não fala mais ou menos, não fala assim-assim."
07-11-2016

"Seria importante para o país um entendimento [na concertação social] , pequeno que fosse, a médio prazo, a 2019 ou 2020. Vamos ver se é possível haver a recetividade por parte dos parceiros patronais e laborais."
11-11-2016

"Há uma semana eu disse que a decisão [de intimar os administradores da CGD a apresentarem as respetivas declarações de rendimento] era do Tribunal Constitucional [TC] . O TC decidiu, está decidido."
Público, 13-11-2016

"O pôr-se o acento tónico naquilo que, eventualmente, é mais discutível ou mais duvidoso e não naquilo que é mais positivo é uma maneira muito portuguesa de olhar a realidade."
Comentando a análise do Conselho das Finanças Públicas à proposta de Orçamento do Estado para 2017
15-11-2016

"O fundamental não é que as vacas voem mas que os portugueses vivam melhor, que haja rigor financeiro, boas relações com a Europa, haja estabilidade política e social e que haja mais crescimento económico, mais investimento, mais exportações e mais crescimento. Se assim for, isso é bom para Portugal e mesmo que as vacas continuem a não voar."
25-11-2016

"Os portugueses estão, sobretudo, mais descrispados, otimistas. (...) Estão mais descrispados porque pensam que há hoje um clima sem a tensão que se vivia há um ano quando foi formado um governo e depois formado outro governo e o país ficou dividido em dois."
26-11-2016

"O que celebramos e celebraremos sempre é a nossa pátria e a nossa independência. (...) O feriado [que assinala a Restauração da Independência] nunca deveria ter sido suspenso."
01-12-2016

"À medida que nós vamos saindo da crise, eu espero que também o número de sem-abrigo diminua, porque há mais gente com emprego e com outras hipóteses de vida."
18-12-2016

"O Presidente da República não teve nem uma cooperação meramente tática, nem meramente estratégica [com o Governo] . Teve uma cooperação constitucional, cumpriu a Constituição."
22-12-2016

"Não penso que isso vá ter consequências em termos de paz social. Pelo contrário, um acordo destes é um sinal de paz social. A paz social faz-se com os trabalhadores, faz-se também com os empresários."
Sobre o acordo alcançado para o aumento do salário mínimo nacional e a descida da TSU
23-12-2016

"2016 foi o ano da gestão do imediato, da estabilização política e da preocupação com o rigor financeiro. 2017 tem de ser o ano da gestão a prazo e da definição e execução de uma estratégia de crescimento económico sustentado."
Mensagem de ano novo
01-01-2017

"A minha orientação tem sido a de não recorrer ao Tribunal Constitucional. Portanto, passou-se um longo período, vai para 11 meses, ou dez meses, para já, em que não houve um único pedido do Presidente ao Tribunal Constitucional para verificar se uma lei era inconstitucional ou não."
04-01-2017

"É isso que se espera do Presidente da República [estar em contacto permanente com as pessoas] . Não tem nada a ver com a ideia: ele está a fazer isto para ser popular a pensar numa recandidatura. Não é nada disso, isso é completamente irrelevante."
04-01-2017

"Resta a Mário Soares, como inspirador, travar o derradeiro combate, aquele em que estamos e estaremos todos com ele: (...) o combate da imortalidade do seu legado, um combate que iremos vencer, porque dele nunca desistiremos, tal como Mário Soares nunca desistiu de um Portugal livre, de uma Europa livre, de um mundo livre. E, no que era decisivo, ele foi sempre vencedor."
Reação à morte do antigo Presidente da República, Mário Soares
07-01-2017

"Este é o momento, estão reunidas as condições para um verdadeiro acordo de regime em termos de descentralização."
13-01-2017

"Por que é que foi rápida a promulgação [do decreto-lei que estabelece uma descida em 1,25 pontos percentuais da taxa social única paga pelos empregadores] ? Porque havia um vazio: deixou de se aplicar o regime que vinha do Governo anterior, que era um desconto de 0,75%. (...) Daí, a urgência da promulgação."
17-01-2017

Lusa

  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis, conclui avaliação do FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela troika em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),

  • "A maioria das pessoas que criticou André Ventura nunca viveu esses problemas"
    3:43

    Opinião

    A polémica em torno das declarações do candidato do PSD à Câmara de Loures, André Ventura, sobre o modo de vida da etnia cigana no concelho, esteve em análise no Jornal da Noite desta segunda-feira. Miguel Sousa Tavares defende que "os problemas existem mas não podem ser generalizados". O comentador SIC considera, ainda assim, que André Ventura tem razão quando diz que "a maioria das pessoas que o criticou nunca viveu esses problemas".

    Miguel Sousa Tavares