sicnot

Perfil

País

Ministério da Saúde vai ter plano de contingência para a visita do Papa a Fátima

© Nacho Doce / Reuters

O Ministério da Saúde vai ter um plano de contingência para a visita do Papa Francisco a Fátima, em maio, que inclui o apoio aos peregrinos e às entidades oficiais que participam nas celebrações do Centenário das Aparições.

Em despacho publicado esta segunda-feira no Diário da República, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, afirma que a "singularidade e a dimensão" do evento religioso "com o previsível aumento da afluência de peregrinos" e "o número e a diversidade de pessoas e instituições envolvidas e a extensa participação de altas entidades" devido à presença do papa Francisco a 12 e 13 de maio fazem com que a proteção da saúde pública relacionada com o evento constitua "uma iniciativa da maior responsabilidade por parte do Estado".

Assim, o Governo determina a constituição de uma comissão que será responsável por elaborar e acompanhar o Plano de Contingência do Ministério da Saúde, garantindo "uma resposta atempada, estruturada e eficaz no âmbito da saúde e da gestão dos seus recursos".

De acordo com o despacho de Fernando Araújo, serão objeto de planificação "as situações previsíveis que requerem medidas específicas, como as de doença, com o impacto no aumento de afluência às estruturas de saúde locais", e também as situações de exceção "potencialmente com múltiplas vítimas, incluindo de natureza traumática, biológica e química, ou outra".

O plano incluirá um dispositivo que abranja os peregrinos "com a implementação de um sistema de vigilância epidemiológica que permita a deteção precoce de doenças antes, durante e na fase imediata após o evento", e a acessibilidade a cuidados de saúde primários em patologias agudas não urgentes ou cuidados pré-hospitalares e hospitalares "nos casos urgentes e emergentes".

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) ficará responsável por "planear, dimensionar e implementar um dispositivo de apoio médico pré-hospitalar e de acompanhamento de altas individualidades" que será integrado no plano de contingência.

O despacho governamental determina ainda que seja dada "especial atenção aos preparativos e mecanismos de resposta" dos hospitais situados em "maior proximidade" a Fátima, onde se incluem o hospital distrital de Santarém, Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e os centros hospitalares de Leiria, Oeste, Médio Tejo e Lisboa Norte.

Já considerando a possibilidade da ocorrência de uma situação de exceção "que possa obrigar à mobilização nacional de meios mais diferenciados", o despacho frisa que os planos de situação de catástrofe de "todos os hospitais universitários com urgência polivalente", nomeadamente os do Porto, Coimbra e Lisboa Ocidental, "devem ser atualizados e testados".

A comissão agora criada, que, para além do plano de contingência, fará o levantamento das necessidades e a avaliação de risco "com a respetiva planificação de meios e procedimentos de resposta no âmbito das comemorações do Centenário das Aparições de Fátima", será presidida por António Marques da Silva, especialista em medicina de catástrofe e diretor do Departamento de Anestesiologia, Cuidados Intensivos e Emergência do Centro Hospitalar e Universitário do Porto.

Integram ainda a referida comissão, que vai funcionar junto do gabinete do secretário de Estado Adjunto e da Saúde, outros dez elementos, em representação da Direção-Geral de Saúde, Administração Central do Sistema de Saúde, administração regionais de saúde do Norte, Centro e Lisboa e Vale do Tejo, Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed), INEM, Instituto Ricardo Jorge, Instituto Português do Sangue e Serviços Partilhados do Ministério da Saúde.

O despacho sustenta ainda que a comissão criada pelo ministério da Saúde "deve assegurar a necessária articulação" com os serviços e organismos dos ministérios dos Negócios Estrangeiros, Defesa Nacional, Administração Interna e Economia, bem como com o Santuário de Fátima e Conferência Episcopal Portuguesa "e dar especial relevo à auscultação e participação das câmaras municipais da área geográfica circundante ao Santuário".

Lusa

  • As confissões de Sérgio Conceição: do futuro no FC Porto à zanga com Rui Vitória 
    43:14
  • Parceiros sociais retomam hoje discussão sobre legislação laboral

    Economia

    Os parceiros sociais retomam esta tarde a discussão sobre as alterações à legislação laboral nas áreas do combate à precariedade, promoção da negociação coletiva e reforço da inspeção do trabalho. No encontro, marcado para as 15:00 no Conselho Económico e Social (CES), em Lisboa, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, deverá apresentar um novo documento com alterações face ao que foi proposto aos parceiros sociais há dois meses.

  • Marcelo descobre que vê mal "ao longe à esquerda"
    2:05

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa recebeu uma declaração dos médicos contra a despenalização da eutanásia. A audiência ao atual bastonário e cinco antecessores acontece a uma semana do tema ir a debate no Parlamento, e no dia em que o Presidente da República foi a estrela do Dia da Segurança Infantil. Marcelo aproveitou para fazer um rastreio à visão e concluiu que tem que estar "atento", à esquerda, ao longe".

  • PS "vai ficar em banho-maria durante anos" por causa de Sócrates
    0:59

    País

    Miguel Sousa Tavares considera que o PS vai ficar em "banho-maria" durante anos por causa de José Sócrates. Em entrevista na SIC Notícias, o comentador criticou os dirigentes socialistas pela forma como se tentaram demarcar do ex-primeiro-ministro e disse que António Costa devia ter tomado uma atitude mais concreta.

  • Sabia que pode emprestar dinheiro a empresas e ganhar 7% em juros por ano?
    8:05
  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC