sicnot

Perfil

País

Testes de ADN confirmam que mulher morta no Luxemburgo é emigrante portuguesa

Os testes de ADN confirmaram que a mulher encontrada morta no Luxemburgo é a emigrante portuguesa Ana Lopes, disse esta segunda-feira à Lusa fonte oficial da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas.

A informação foi transmitida este domingo ao Governo português, disse a mesma fonte do gabinete do secretário de Estado José Luís Carneiro.

Segundo a imprensa, a jovem portuguesa de 25 anos foi vista pela última vez na noite de domingo, dia 15, em Bonnevoie, no Luxemburgo, onde vivia com os pais e a irmã.

O carro da jovem foi localizado completamente destruído, numa zona de terra batida e arvoredo já em território francês, em Roussy-le-Village.

No seu interior, estava um corpo de mulher carbonizado, que os testes agora realizados confirmaram ser Ana Lopes.

A mesma fonte do Governo referiu que o inquérito prossegue no Luxemburgo.

Lusa

  • Alterações nos horários das farmácias têm o objetivo de evitar duplicação de serviços
    1:50
  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis, conclui avaliação do FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela troika em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),