sicnot

Perfil

País

Bicicletas partilhadas de Lisboa estarão a funcionar em toda a cidade em junho

© Reinhard Krause / Reuters

O presidente da Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (EMEL) apontou esta quarta-feira que a rede de bicicletas partilhadas irá iniciar a sua fase de teste em março ou abril, estando a funcionar em pleno em junho.

."Temos tudo preparado para que em março ou abril tenhamos o ponto de teste das bicicletas partilhadas montado na Expo", afirmou Luís Natal Marques no seminário "Mobilidade e Qualidade de Vida nas Cidades", que decorreu hoje em Lisboa. Segundo o presidente da EMEL, "em junho será possível ter as 1.400 bicicletas a funcionar em toda a cidade".

Em outubro, Natal Marques explicou à agência Lusa que este projeto iria começar por funcionar numa zona piloto, nomeadamente o Parque das Nações, por ser uma zona "mais contida da cidade".

Em causa está uma rede de 1.410 bicicletas (940 elétricas e 470 convencionais) distribuídas por 140 estações: 92 no planalto central da cidade, 27 na baixa e frente ribeirinha, 15 no Parque das Nações e seis no Eixo Central (que abrange as avenidas Fontes Pereira de Melo e da Liberdade).

Em outubro de 2015, a EMEL lançou um concurso público para "aquisição, implementação e operação do Sistema de Bicicletas Públicas Partilhadas na cidade de Lisboa", com um valor base de 28,9 milhões de euros e um prazo contratual de 108 meses (nove anos). Após a exclusão por questões formais das dez candidaturas apresentadas - que eram, essencialmente, de empresas estrangeiras -, a EMEL decidiu lançar um novo concurso, que resultou na escolha da empresa "Órbita".

Em outubro, o responsável frisou que "a concorrência" levou a que o preço base do concurso baixasse em 20% para 23,09 milhões de euros.Hoje, Luís Natal Marques salientou que "os 23 milhões de euros não são só para comprar as bicicletas". "É para isso, para aquisição do sistema e para manutenção" durante os nove anos, disse.

Durante a sua intervenção, o responsável avançou também que "a Madragoa vai passar a ser uma zona de acesso limitado" a automóveis, à semelhança do que já acontece noutras zonas da cidade. Também presente no seminário que assinalou os 25 anos da Fernave (Formação Técnica, Psicologia Aplicada e Consultoria em Transportes e Portos), o vereador da Mobilidade de Proximidade da Câmara Municipal de Lisboa apontou que o município tem "apostado nos novos modos suaves" de transporte.

Na opinião de Carlos Castro, o recém-inaugurado Eixo Central, que conta agora com uma ciclovia bidirecional, é um dos exemplos na cidade que "mostra a capacidade de as pessoas usarem a bicicleta". "Estamos a garantir condições para que as pessoas possam usar o modo de transporte que quiserem", apontou, advogando que "às vezes é mais fácil chegar a certos pontos da cidade de bicicleta do que de transportes públicos".

Sobre os transportes públicos, Carlos Castro vincou que este é um setor onde "há falta de qualidade". Por isso, perante responsáveis da Comboios de Portugal, da EMEL e da Carris, o autarca defendeu que "ninguém ganha nada com a concorrência" entre estas entidades, e que é "necessária articulação". "Temos de deixar a logística dos corporativismos institucionais e pensar nos interesses das pessoas", observou, defendendo reuniões periódicas entre diversas instituições de mobilidade.

Em resposta, o presidente da Carris, Tiago Farias, partilhou a ideia de que "não se chega a bom porto sem a partilha de experiências, ideias, equipamentos e espaço público", nem "sem proximidade".No seguimento, o responsável questionou, porém, "quantas vezes reuniu a Câmara de Lisboa com a Carris nos últimos 20 anos? Eu diria cinco vezes, e assim não se partilha nada".

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.