sicnot

Perfil

País

Cientistas recordam Mário Ruivo como uma inspiração

Cientistas recordam Mário Ruivo como uma inspiração

Mário Ruivo, presidente do Conselho Nacional do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, morreu esta quarta-feira em Lisboa, aos 89 anos. Considerado um dos pioneiros na defesa dos oceanos, exerceu vários cargos em organismos nacionais e internacionais. Cientistas de diferentes áreas do conhecimento recordam o biólogo como uma inspiração.

  • Especialista em oceanografia Mário Ruivo morreu hoje aos 89 anos

    País

    Mário Ruivo, presidente do Conselho Nacional do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, morreu hoje, em Lisboa, aos 89 anos. Antifascista, ministro dos Negócios Estrangeiros no V Governo provisório, e cientista português, Mário Ruivo é reconhecido sobretudo pelo pioneirismo na defesa dos oceanos e pelo lançamento das políticas de ambiente em Portugal.

  • Sessão solene no Parlamento e desfile popular nas celebrações do 25 de Abril

    País

    Os 43 anos da Revolução dos Cravos são hoje comemorados com a sessão solene no Parlamento e o tradicional desfile popular, tendo o Presidente da República escolhido o 25 de Abril para condecorar, a título póstumo, Francisco Sá Carneiro. A SIC Notícias acompanha esta manhã a sessão solene na Assembleia da República. Veja aqui em direto.

  • Desconhecem-se as causas do incêndio na fábrica da Tratolixo
    0:43

    País

    Os moradores de Trajouce, em São Domingos de Rana, não ganharam para o susto com um incêndio nas instalações da empresa de resíduos Tratolixo.O alerta foi dado por populares e trabalhadores da empresa. O vento foi o maior problema dos bombeiros no combate às chamas durante a noite. No local estiveram 133 homens, apoiados por 51 viaturas.Desconhecem-se para já as causas do incêndio. O incêndio foi circunscrito de madrugada, mas pode demorar algumas horas a ser dominado.

  • ASAE encerra em média um restaurante por dia
    1:33
  • Duas execução no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.