sicnot

Perfil

País

Passagem da Carris para CML sem parecer da autoridade reguladora dos transportes

(Arquivo/Reuters)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O presidente da Autoridade da Mobilidade e Transportes (AMT) disse hoje que "até ao momento" ainda não recebeu os documentos necessários para poder emitir o parecer vinculativo sobre a passagem da gestão da Carris para a Câmara de Lisboa.

"Ainda não foram remetidos à AMT os documentos contratuais, estudos jurídicos, técnicos e financeiros que suportam a passagem da Carris para a Câmara Municipal de Lisboa (CML).

A CML deveria remeter à AMT a fundamentação no momento anterior ao envio para o Tribunal de Contas, como foi feito com a STCP (Sociedade de Transportes Coletivos do Porto), mas até ao momento não recebemos nada", disse João Amaral Carvalho.

O presidente da Autoridade da Mobilidade e Transportes falava na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas na sequência de um requerimento do PSD, sobre a passagem da gestão da Carris para a Câmara Municipal de Lisboa.
João Amaral Carvalho lembrou ainda os deputados que teve uma reunião a 16 de janeiro com responsáveis da CML, durante a qual alertou que seria necessário ter os instrumentos contratuais e jurídicos para que a autoridade pudesse emitir o seu parecer vinculativo.

"Comprometeram-se a enviar a documentação necessária para podermos emitir o nosso parecer vinculativo, mas até ao momento ainda não nos chegou nada", relembrou o responsável.

Questionado pelo Partido Socialista se havia algum incumprimento de algumas entidades que participam no processo de passagem da Carris da esfera do Estado para a autarquia lisboeta, João Amaral frisou que este não existe por falta de documentação.
"Não existe incumprimento porque não existe a documentação necessária para darmos o parecer. Logo não há incumprimento", esclareceu o presidente da entidade reguladora dos transportes.

Questionado acerca do aumento dos tarifários nos transportes públicos, João Amaral Carvalho defendeu que deve ser feito de uma "forma mais científica", lembrando que o Conselho Metropolitano de Lisboa detetou, pelo menos, 201 casos de aumento de tarifários nos transportes da Área Metropolitana acima do limite legal.

"Não sei se há operadores que estão a fazer acima ou abaixo do legal, não sabemos. Mas detetamos uma zona cinzenta entre a legislação existente. Há que regulamentar esse aspeto do tarifário", afirmou.

O responsável reiterou ainda a necessidade de um aumento "de forma científica para 2018", sublinhado não querer seguir o caminho de "aumentos médios que, por vezes, promovem a fuga à lei".

No final de novembro passado, o Governo e a Câmara de Lisboa assinaram um memorando da passagem de gestão da rodoviária Carris para a autarquia, a partir de 01 de fevereiro de 2017.

Na altura, foram anunciadas medidas como o reforço de 250 novos autocarros nos próximos três anos para a cidade, num investimento de 60 milhões de euros, a contratação de 220 motoristas, a criação de 21 novas linhas e ainda a atribuição de passes gratuitos a todas as crianças até aos 12 anos e descontos para os idosos.

  • O tempo para hoje
    0:57

    País

    O Instituto do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para hoje chuva fraca a norte do sistema Montejunto-Estrela com subidada temperatura mínima. Céu muito nublado ou encoberto, apresentando-se em geral pouco nublado no Baixo Alentejo e no Algarve até meio da manhã. Períodos de chuva fraca ou chuvisco nas regiões a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, mais frequentes no Minho e Douro Litoral e a partir da tarde.

  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efetivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21
  • Antigos quadros da Facebook declaram-se preocupados com efeitos da rede social

    Mundo

    Alguns dos antigos quadros da empresa Facebook estão a começar a exprimir sérias dúvidas sobre a rede social que ajudaram a criar, foi noticiado. A Facebook explora "uma vulnerabilidade na psicologia humana" para criar dependência entre os seus utilizadores, afirmou o primeiro presidente da empresa, Sean Parker, num fórum público.