sicnot

Perfil

País

Ministério estuda "solução imediata" para reabrir Escola Alexandre Herculano

O Ministério da Educação afirmou hoje estar "a recolher todas as informações" sobre o encerramento da Escola Secundária Alexandre Herculano, no Porto, por chover nas salas, salientando estar "a trabalhar" numa "solução imediata" para retoma das aulas.

"Os serviços do Ministério da Educação estão a recolher todas as informações sobre a situação registada hoje na Escola Secundária Alexandre Herculano, no Porto, e a trabalhar no sentido de encontrar uma solução imediata que garanta a regularização das atividades letivas", lê-se numa nota escrita enviada às redações

Recordando que a requalificação da Alexandre Herculano "integra a lista de investimentos em infraestruturas educativas e formativas a executar no âmbito dos 'Pactos Territoriais para o Desenvolvimento e Coesão' (PTDC), celebrados no âmbito dos Programas Operacionais Regionais do Acordo de Parceria Portugal 2020", o ministério diz estar em curso um "processo de concertação" com a Câmara do Porto para requalificar a escola.

"Neste momento decorre um processo de concertação entre o Ministério da Educação e o município do Porto que permitirá avançar com a requalificação e modernização desta escola, à semelhança dos que ocorreu com todos os municípios com investimentos em estabelecimentos de ensino previstos nos PTDC", sustenta.


O Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Norte (STFPSN) anunciou hoje que a Escola Secundária Alexandre Herculano foi encerrada pelo respetivo diretor por "chover em várias salas".


Em comunicado, o sindicato recorda que "tem vindo a alertar para a falta de condições" da escola "ao longo de vários anos", sustentando que "a decisão de encerramento deste estabelecimento de ensino por chover no seu interior é só mais um episódio que revela a sua degradação, colocando permanentemente em risco a segurança e a saúde de trabalhadores e alunos".

Lusa

  • Captura ilegal de cavalos-marinhos na Ria Formosa
    3:02

    País

    Há cada vez menos cavalos marinhos na Ria Formosa. Cientistas da Universidade do Algarve dizem que a maior população desta espécie no mundo, que é a que existe na Ria Formosa, está ameaçada devido à captura ilegal para o mercado asiático. Dizem que, se nada for feito para travar este fenómeno, esta espécie protegida pode desaparecer em poucos anos.