sicnot

Perfil

País

BE defende alterações ao modelo do Governo da Carris mas está contra revogação

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

A coordenadora do BE manifestou-se hoje contra a revogação do diploma sobre a municipalização da Carris, embora anunciando propostas de alteração para que o modelo de gestão integre não apenas Lisboa, mas as várias autarquias abrangidas.

À margem de uma visita à Escola Secundária Ferreira Dias, no Cacém, concelho de Sintra, Catarina Martins foi questionada sobre a posição do BE no debate da apreciação parlamentar que o PCP requereu em relação à municipalização da Carris, não tendo os comunistas ainda decidido se apresentam propostas de alteração ou se avançam simplesmente para a revogação do diploma do Governo socialista.

"Eu não sei qual é a proposta. Nós não apoiaremos a cessação de vigência do decreto-lei, se ela for proposta, mas apoiaremos sim alterações ao decreto-lei no sentido de os vários municípios que são servidos pela Carris estarem incluídos no modelo de gestão da Carris e não apenas o município de Lisboa", disse aos jornalistas.

A líder do BE assegurou que os bloquistas vão apresentar propostas próprias sobre esta matéria, lembrando que o partido sugere há muitos anos uma gestão intermunicipal dos transportes coletivos.

"Se o Governo tivesse conversado com os vários partidos antes de ter avançado, este processo poderia correr de uma forma mais proveitosa", sustentou, apesar de garantir que "o partido não quer voltar ao que existia anteriormente" já que "era um mau modelo"

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras