sicnot

Perfil

País

Inquéritos por crimes sexuais contra menores sobem 124% no distrito judicial de Lisboa

Os inquéritos instaurados por crimes sexuais contra menores no Distrito Judicial de Lisboa mais que duplicaram entre setembro de 2014 e agosto de 2016, passando de 413 para 927, segundo o relatório da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

O distrito judicial de Lisboa é composto por cinco comarcas: Açores, Lisboa, Lisboa Norte, Lisboa Oeste e Madeira.

Segundo os dados estatísticos, os crimes sexuais contra menores aumentaram 124% entre setembro de 2014 e agosto de 2016.

Durante o mesmo período registou-se um aumento de 200% de inquéritos instaurados na sequência de crimes contra profissionais de saúde, passando de sete para 21.

O relatório faz ainda referência a um aumento de 31 por cento no número de inquéritos por negligência na prestação de cuidados de saúde e de 34 por cento por violência em comunidade escolar.

No que respeita à violência conjugal o documento aponta para um decréscimo de três por cento, uma baixa considerada pouco significativa.

No ano judicial anterior foram instaurados 10.156 inquéritos por violência conjugal e de setembro de 2015 a agosto de 2016 foram instaurados 9.821.

De acordo com a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, na violência doméstica é nítido o aumento das formas da violência em meio familiar degradado e/ou pobre com disseminação para situações muito graves de maus tratos de crianças ou de idosos e aumento da exigência para as estruturas de intervenção imediata.

"Neste tipo de fenómenos a questão não é meramente estatística e seria errado interpreta-la como tal, mas diz respeito à agressividade, agudização das formas de violência, com necessidades de intervenção do Ministério Público, dos Órgãos de Polícia Criminal e das estruturas sociais designadamente, das Comissões de Proteção de Crianças e Jovens e da segurança social", lê-se no documento.

Lusa

  • Incêndio na Sertã "está para durar"
    3:32

    País

    Mais de 700 operacionais combatem o incêndio com três frentes ativas, na Sertã. A jornalista da SIC, Patrícia Figueiredo, esteve junto a Relva da Louça, em Proença-a-Nova, onde avançou que a "situação está complicada" e que as chamas estão quase a alcançar a localidade. A jornalista dá conta ainda de várias equipas da Proteção Civil a ajudar os bombeiros e do seu trabalho dificultado por causa do vento.

  • Genro de Donald Trump depõe hoje no Senado

    Mundo

    Jared Kushner, genro do Presidente dos EUA Donald Trump, vai hoje depor à porta fechada perante o comité dos serviços de inteligência do Senado, a câmara alta do Congresso norte-americano.

  • " A melhoria das contas públicas não foi feita à custa dos portugueses"
    1:30

    País

    Numa espécie de balaço deste ano e meio de governação, o primeiro-ministro voltou a assinalar voltou a assinalar a redução do défice e as melhorias nas contas públicas. Num jantar com militantes em Coimbra, António Costa garantiu ainda que a "verdadeira reforça do Estado avança até ao final desta legislatura, que é a Descentralização.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Margem mínima de mil votos obriga a negociações intensas em Timor-Leste

    Mundo

    A Fretilin venceu sem maioria absoluta as lesgislativas para o VII Governo constitucional de Timor-Leste. De acordo com os dados oficiais, o partido de Mari Alkatiri obteve perto de 170 mil votos e conquistou 23 deputados. Já o partido de Xanana Gusmão que tinha vencido há cinco anos, ficou em segundo com 167 mil votos e 22 lugares no parlamento, num total de 65.

  • Projéteis com bolsas de água ajudam Israel a combater os fogos
    3:34

    Mundo

    Israel tem sido afetado por graves incêndios nos últimos meses. Várias empresas de armamento têm-se dedicado à luta contra o fogo e criaram, recentemente, uma nova arma para apagar fogos: um míssil de água, fabricado pela indústria de material de guerra, que tem ajudado bastante os bombeiros israelitas. A reportagem do correspondente da SIC no Médio Oriente, Henrique Cymerman, mostra-nos como funcionam os projéteis de água.

    Henrique Cymerman

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15