sicnot

Perfil

País

Mau tempo nos próximos dias põe Porto, Gaia e Matosinhos em alerta

As Câmaras do Porto, Gaia e Matosinhos têm já preparados planos de intervenção para os próximos dias em que se prevê um agravamento das condições meteorológicas e ondas que podem atingir os 14 metros de altura.

A Proteção Civil Municipal do Porto avisou já hoje, via página 'online' da câmara, para "a existência de previsões que apontam para um agravamento das condições meteorológicas nos próximos dias, nomeadamente, um aumento da agitação marítima, chuva e vento por vezes forte".

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) decretou já o alerta vermelho para o distrito do Porto por causa das previsões de aumento significativo da agitação marítima entre as 15:00 e as 23:59 de quinta-feira, com ondas que podem atingir os 12 a 14 metros de altura máxima.

O mau tempo vai obrigar ao corte da Avenida D. Carlos, na Foz do Douro, durante os próximos dois dias e a proteção civil do Porto "desaconselha a circulação e permanência junto à zona costeira e apela a que não se pratique qualquer atividade relacionada com o mar".

"A Proteção Civil Municipal recomenda, assim, à população que tome as devidas precauções, apelando ao respeito pelos perímetros de segurança que serão estabelecidos para peões junto da orla costeira e acessos aos molhes, mas também aos eventuais cortes de trânsito que sejam necessários implementar nestas zonas", indica.

Pede ainda à população um "cuidado acrescido na circulação junto junta da orla costeira, zonas ribeirinhas e da Foz, já que se tratam de zonas historicamente mais vulneráveis à ondulação", sendo também desaconselhado o estacionamento de viaturas nessas zonas.

Mais a norte, a Proteção Civil de Matosinhos tem já preparado um plano de prevenção que será ativado consoante a necessidade, estando agendada para quinta-feira de manhã uma reunião com todas as forças de segurança para avaliar a eventual aplicação do plano que prevê o corte ao trânsito da marginal de Matosinhos, Leça, praias da Memória, Marreco e Paraíso.

Caso as condições se agravem, podem surgir mais cortes de trânsito em zonas mais a norte. A própria Proteção Civil da Junta de Freguesia de Matosinhos e Leça da Palmeira indica medidas de precaução para os próximos dias como fechar portas e janelas, prender todo o equipamento solto, não estacionar ou parar viaturas perto de árvores ou em na orla marítima, não se aproximar da praia e não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos ou passeios à beira-mar.

A proteção civil deixa ainda o contacto (800 208 545) dos bombeiros locais para situações de perigo eminente.

Do lado sul do Douro, a Câmara de Gaia divulgou ter sido pedido às corporações de bombeiros da orla marítima para quinta-feira de manhã fazerem ações de sensibilização junto dos comerciantes e populações locais.

A Polícia Municipal de Gaia está de pré-aviso caso surja a necessidade de intervir e cortar algumas ruas à circulação e a Proteção Civil Municipal vai estar a monitorizar a situação a partir da parte da tarde.

Também em alerta está a Direção Municipal de Infraestruturas da Câmara de Gaia. Os Sapadores Bombeiros de Gaia têm mesmo um número de telefone disponível para qualquer emergência: 707 242 400.

O aviso vermelho é o mais grave de uma escala de três e corresponde a uma situação meteorológica de risco extremo.

Para sexta-feira e sábado até às 02:59 o IPMA colocou o distrito do Porto em alerta laranja por causa da agitação marítima.

Lusa

  • Novas imagens dos momentos após Khalid Masood ter embatido no muro do Parlamento britânico
    1:35
  • Parlamento português pede demissão de Dijsselbloem

    País

    A Assembleia da República foi hoje unânime na condenação das polémicas declarações do presidente do Eurogrupo, mas recusou um ponto pela rejeição de diversos compromissos com a União Europeia (UE) exigida pelo PCP.

  • Comissão Europeia quer proibir o tabaco na praia

    País

    A Comissão Europeia quer proibir o tabaco em todos os espaços públicos, incluindo praias, parques infantis e equipamentos desportivos. A proposta foi apresentada pelo comissário da Saúde e Segurança Alimentar que, além de querer reduzir a dependência do tabaco, também sugere que todos os estados membros apliquem uma idade mínima para a venda de tabaco.

  • Como se resolve a falta de espaço numa cidade chinesa?
    1:07