sicnot

Perfil

País

PSD e CDS avançam para Constitucional pelo direito à identidade pessoal e genética

© Sergei Karpukhin / Reuters

Os deputados do PSD e do CDS-PP que requerem a fiscalização da constitucionalidade da procriação medicamente assistida e gestação de substituição defendem que estão em causa os direitos à identidade pessoal e genética, entre outros princípios constitucionais.

No texto do pedido de fiscalização da conformidade dos diplomas com a Lei Fundamental, a que a agência Lusa teve acesso, os deputados argumentam também que estão em causa os princípios da igualdade, da proporcionalidade, ao livre desenvolvimento da personalidade, a dignidade da pessoa humana e "uma violação do dever do Estado de proteger as crianças, com vista ao seu saudável e integral desenvolvimento".

Assinado por mais de um décimo dos deputados à Assembleia da República em efetividade de funções, como está estabelecido, o pedido será apresentado esta quarta-feiraem conferência de imprensa na Assembleia da República pelo deputado do PSD Fernando Negrão e pela deputada do CDS Vânia Dias da Silva.

No caso do acesso à procriação medicamente assistida por parte de todas as mulheres - independentemente de condição médica de infertilidade, do estado civil ou orientação sexual -, é questionada a conformidade à Constituição da República Portuguesa (CRP) de se estabelecer "como regra o anonimato dos dadores e como exceção a possibilidade de conhecimento da sua identidade".

Já na gestão de substituição, permitida em casos de infertilidade, os subscritores sublinham que se está "perante uma proibição absoluta do acesso à identidade de todas as mulheres que assumam o papel de ?gestantes de substituição', o que viola flagrantemente os direitos à identidade pessoal e identidade genética, previstos nos n.ºs 1 e 3 do artigo 26.º da CRP, e se revela uma solução profundamente desproporcional e desadequada, o que afronta o artigo 18.º, n.º 2, da CRP".

No texto de 25 páginas, em que fundamentam os motivos que os levam a recorrer ao Tribunal Constitucional, os parlamentares sociais-democratas e centristas apontam que "o movimento científico e doutrinário, nacional e internacional, mostra-se cada vez mais consciente da importância e reforço do direito a conhecer a identidade genética, enquanto parte do direito à identidade" e que nesse sentido foram as recentes alterações à Lei da Adoção.

Com as últimas alterações a essa legislação, "passa a ser assegurado o acesso ao conhecimento das origens ao adotado com 16 anos ou mais de idade que manifeste essa vontade (com a autorização dos pais ou legal representante, enquanto for menor)", apontam.

Ainda sobre o direito ao conhecimento da identidade genética, os subscritores consideram que, "por essa via, é também violado o princípio da igualdade perante a lei, porquanto só uma parte da população portuguesa - a que não nasça por recurso a técnicas de PMA - tem direito ao conhecimento da sua identidade genética, dele ficando excluídos os que assim nasçam".

Relativamente à gestação de substituição, considera-se que há uma violação do primado da dignidade da pessoa humana e do dever do estado de proteção da infância e é defendido que se está perante "uma verdadeira mercantilização do ser humano: a criança passa a ser objeto de um negócio jurídico e a mãe gestante converte-se numa mera incubadora ao serviço dos beneficiários".

"Um processo de coisificação que, independentemente da natureza onerosa ou gratuita do mesmo, traz indubitavelmente à colação o princípio da dignidade da pessoa humana, seja no que refere à gestante de substituição, seja no que se refere à criança", argumentam.

Os signatários defendem que, mesmo estando apenas previsto de forma generosa, "as mulheres podem ser coagidas a aceitar, nomeadamente através de pressões emocionais, ou mesmo de ameaças ou promessas relativamente ao trabalho ou à família".

Lusa

  • Bebé nasce na Ucrânia com ADN de três pais

    Mundo

    Nasceu a 5 de janeiro, na Ucrânia, uma menina filha de um casal infértil graças à ajuda de uma nova técnica de fertilização in vitro, que conta com a colaboração de uma terceira pessoa. De acordo com o britânico The Times, os médicos utilizaram pela primeira vez um método denominado transferência pronuclear. Esta não é, contudo, a primeira vez que nasce um bebé com ADN de três progenitores.

  • Portugal inicia preparação para o Mundial sem Cristiano Ronaldo

    Rumo ao Mundial 2018

    A seleção portuguesa de futebol começa hoje a preparar a participação no Mundial2018, que arranca em 14 de junho, na Rússia, com um treino na Cidade do Futebol, em Oeiras, numa sessão em que são esperadas algumas ausências. O capitão Cristiano Ronaldo, que vai disputar no sábado a final da Liga dos Campeões com o Real Madrid, é baixa certa no arranque dos trabalhos, mas não deve ser o único.

  • Hoje é notícia

    País

    Esta terça-feira realiza-se o funeral do antigo ministro António Arnaut na Figueira da Foz. Em Sintra está previsto o início do julgamento dos 17 agentes da PSP acusados de agredirem jovens da Cova da Moura, concelho da Amadora, no interior da esquadra de Alfragide. Em Oeiras, a seleção portuguesa de futebol começa hoje a preparar a participação no Mundial2018.

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20