sicnot

Perfil

País

Trabalhadores não docentes das escolas esperam elevada adesão à greve de sexta-feira

O presidente da Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas disse hoje esperar uma "grande adesão" à greve dos trabalhadores não docentes das escolas, na sexta-feira, e apelou às direções para não substituírem os grevistas.

"Vai ser uma grande greve. Temos já a indicação e a perspetiva do encerramento de muitas escolas a nível nacional", disse Artur Sequeira, da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais, numa conferência de imprensa que se realizou frente ao Liceu Camões, em Lisboa.

O mesmo responsável acrescentou que as direções dos estabelecimentos de ensino devem evitar interferir na paralisação do dia 03 de fevereiro."As direções das escolas não devem ter a tentação de utilizar os trabalhadores do contrato de emprego e inserção para substituir trabalhadores grevistas", afirmou sublinhando também a falta de diálogo por parte do Governo.

"O Ministério da Educação recebeu o pré-aviso de greve mas não respondeu aos pedidos de reunião para discutir as reivindicações dos trabalhadores, entre as quais a gestão das escolas", criticou Artur Sequeira que defende o envolvimento urgente do executivo."Quem tem de fazer a política de Educação, nos termos da Constituição da República, é o Ministério da Educação. É a única forma que há de este serviço público ser universal e igual para todos. A repartição pelos municípios não é solução", disse, recordando que os trabalhadores estão em luta contra a precariedade.

Segundo o responsável pela federação, os trabalhadores não docentes são "pau para toda a obra" e exigem igualmente a reposição do estatuto referente a uma carreira específica que "já existiu" e que foi "destruída" pelo Governo de José Sócrates (PS). De acordo com os dados da federação, há atualmente 49 mil trabalhadores não docentes nas escolas portuguesas tendo-se registado uma diminuição do número de funcionários, que chegaram a ser 60 mil, nos últimos anos.

Lusa

  • Pelo menos dois feridos em confrontos entre adeptos do Benfica e do Braga
    1:55

    Desporto

    Antes do jogo do Benfica e do Sporting de Braga, registaram-se confrontos entre os adeptos, no Estádio Municipal de Braga. Os confrontos causaram pelo menos dois feridos. Os benfiquistas queixaram-se de agressões e criticaram a ausência da polícia. Várias viaturas foram danificadas durante os distúrbios e a PSP chegou a separar adeptos do Braga e do Benfica.

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Donald Trump culpa imigrantes por ataque que nunca existiu
    1:01
  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.