sicnot

Perfil

País

Conselho de Fiscalização das secretas quer solução legal para acesso a metadados

O Conselho de Fiscalização dos Serviços de Informações defende uma alteração à lei que permita às secretas terem acesso a dados e comunicações, para detetarem e prevenirem ameaças terroristas. O parecer foi entregue esta quinta-feira ao Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues.

A proposta já tinha sido defendida e aprovada no Parlamento, em 2015, com os votos do PS, PSD e CDS, mas foi depois chumbada pelo Tribunal Constitucional, por colocar em causa o direito à vida privada.

No novo documento, o Conselho de Fiscalização dos Serviços de Informações, presidido por Paulo Mota Pinto, diz que as ameaças não desapareceram nem diminuiram. Por isso, as secretas querem reforçar os meios disponíveis, sobretudo os do serviço de informações de segurança.

Além disso, defendem também a junção desta entidade com os Serviços de Informações Estratégicas de Defesa, com o objetivo de melhorar a utilização de recursos.

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50