sicnot

Perfil

País

Autoridades vigiam praia da Foz do Arelho por suspeita de casal desaparecido

A Autoridade Marítima está esta sexta-feira a fazer uma "vigilância apertada" na Foz do Arelho, Caldas da Rainha, após o alerta do possível desaparecimento de um casal naquela praia, com ondas fortes, disse o Capitão do Porto de Peniche.

Marco Augusto relatou à agência Lusa que, desde as 19:00, a Polícia Marítima está a efetuar passagens0 pela praia no sentido de encontrar algum indício que possa levar as autoridades a confirmarem ou não o desaparecimento do casal, como foi relatado por populares, num dia de mau tempo, com mar muito alteroso.

"Um casal na casa dos 20 anos, que trajava com vestuário de cores escuras, foi avistado junto ao mar entre as 18:00 e as 18:30 e, de repente, deixou de ser visto", o que levou os populares a alertar as autoridades, explicou o comandante da Capitania de Peniche.

O mesm responsável adiantou que, segundo os relatos dos populares, o casal chegou a ser visto com a roupa molhada, depois de ter sido surpreendido pelo mar.

A vigilância está a ser assegurada pelas patrulhas da Polícia Marítima e no local estiveram também mergulhadores, uma mota de água e homens dos bombeiros das Caldas da Rainha, além de elementos da GNR.

A zona da Foz do Arelho, como outras do país, encontra-se sob agitação marítima forte, motivo pelo qual a região esteve durante o dia sob 'Aviso Laranja'.

Lusa

  • José Eduardo dos Santos há 38 anos no poder
    2:42

    Mundo

    José Eduardo dos Santos foi o segundo Presidente com mais tempo de liderança a nível mundial, quase 38 anos. Este ano, anunciou que não voltaria a concorrer às eleições, mas mantêm-se, por enquanto, como presidente do MPLA. No dia em que os angolanos foram às urnas para escolher o seu sucessor, apresentamos a vida de José Eduardo dos Santos.

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.