sicnot

Perfil

País

Decretada prisão preventiva para suspeito de matar adolescente em Aljezur

O Tribunal de Lagos decretou esta sexta-feira a prisão preventiva para o homem suspeito de ter matado uma adolescente em dezembro de 2014, em Aljezur, no Algarve, e que fugiu para a Roménia, onde foi detido, indicou o Ministério Público.

Numa nota publicada na sua página da internet, a Procuradoria da Comarca de Faro anunciou que o homem, de 35 anos, é suspeito da prática de crimes de homicídio qualificado, rapto e profanação de cadáver.

"Os factos remontam a dezembro de 2014 e ocorreram em Aljezur. Existem suspeitas de que o arguido raptou e matou a filha da sua companheira, desferindo-lhe golpes na cabeça com um instrumento contundente.

Terá também escondido o corpo e tentado apagar os vestígios do crime", lê-se no documento.Segundo a procuradoria, o arguido deixou Portugal e regressou à Roménia, de onde era natural e onde foi detido no âmbito de um mandado de detenção europeu emitido pelo Ministério Público.

O inquérito prossegue os seus termos na unidade de Lagos do Departamento de Investigação e Ação Penal de Faro, estando a investigação a ser realizada pela Polícia Judiciária.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.