sicnot

Perfil

País

Autoridades encerram buscas por alegado casal desaparecido na Foz do Arelho

A Autoridade Marítima encerrou as buscas por um casal que se suspeitava ter desaparecido na Foz do Arelho, nas Caldas da Rainha, considerando ter-se tratado de um falso alerta.

"Não houve qualquer comunicação de desaparecimento, nem foram encontrados quaisquer indícios o que nos leva a considerar que se não surgirem novos dados ter-se tratado de um falso alerta", disse à Agência Lusa o capitão do Porto de Peniche.

De acordo com o comandante da Capitania, Marcos Augusto, "as buscas foram suspensas cerca das 18:30", terminando a vigilância apertada na praia onde, a partir de domingo, será retomada "apenas a vigilância habitual".

O alerta para o alegado desaparecimento de um casal, com cerca de 20 anos, foi dado por populares, ao final do dia de sexta-feira.

O casal, "na casa dos 20 anos, que trajava com vestuário de cores escuras, foi avistado junto ao mar entre as 18:00 e as 18:30 por uma cidadã que, num momento em que se encontrava ao telefone, deixou de os ver", dando o alerta devido ao estado do mar que se encontrava revolto, relatou Marcos Augusto.

A autoridade marítima iniciou então uma " vigilância apertada" na praia, que se prolongou até às 22:00 de sexta-feira e foi esta manhã retomada, com duas equipas da polícia marítima e da Autoridade Marítima Nacional a efetuarem buscas por terra.

"As informações que conseguimos recolher vão no sentido de que todas as pessoas que terão estado nesse dia na praia da Foz do Arelho terão regressado a casa em segurança", afirmou o capitão sustentado que "as buscas só serão retomadas se houver uma comunicação formal de desaparecimento".

Lusa

  • Buscas continuam na Foz do Arelho
    1:47

    País

    A Polícia Marítima está a manter uma vigilância apertada na Foz do Arelho, Caldas da Rainha, depois de ter sido dado o alerta para o possível desaparecimento de um casal que estava na praia. Para já, ainda não se percebeu se é um falso alarme, e por isso mesmo as autoridades estão de prevenção junto ao mar.

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.