sicnot

Perfil

País

Aprovada audição do ministro da Educação no parlamento pedida pelo PSD

Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

© Lusa

O pedido do PSD para ouvir o ministro da Educação no parlamento sobre a situação das escolas foi aprovado esta terça-feira em comissão com a abstenção do PS e votos favoráveis das restantes bancadas, disse à Lusa fonte parlamentar.

O requerimento dos sociais-democratas foi entregue na passada sexta-feira, dia em que os funcionários das escolas cumpriram um dia de greve, e foi aprovado esta terça-feira na comissão parlamentar de Educação, sem ter sido ainda fixada a data de audição de Tiago Brandão Rodrigues.

Na altura, o PSD justificou o pedido de audição com a necessidade de ouvir o ministro da Educação sobre os vários constrangimentos que consideram estar a afetar as escolas, como a falta de funcionários, a falta de verbas para despesas correntes e o desinvestimento durante 2016 a nível da manutenção e da recuperação de infraestruturas.

Para o PSD, "todos estes problemas se agravaram com o decorrer do ano letivo sem que até ao momento tenha existido da parte do ministro da Educação uma resolução ou sequer uma estratégia para a resolução efetiva de todos estes problemas".

Os sociais-democratas consideraram a audição regimental de Tiago Brandão Rodrigues marcada para abril demasiado tardia para ser dada resposta a estas perguntas.

Lusa

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48