sicnot

Perfil

País

Polícia e moradores trocam acusações sobre agressões durante despejo na Amadora

Três elementos da PSP foram esta terça-feira agredidos por um morador do Bairro 6 de Maio, na Amadora, durante operações de despejo, segundo a polícia, enquanto a associação Habita afirma que foi a polícia a agredir o morador.

Em declarações à agência Lusa, o comandante da Divisão da Amadora da PSP, Luís Pebre, disse que os polícias agredidos foram encaminhados para o hospital Amadora-Sintra, onde se encontram ainda "em observação".

"Um tem a boca toda rebentada, outro tem a perna marcada e outro não sei", adiantou o comandante da Divisão da Amadora da PSP.

De acordo com Luís Pebre, o morador do Bairro 6 de Maio "agrediu violentamente três polícias e foi detido".

"Esse senhor tentou agredir o comandante da Polícia Municipal da Amadora e depois agrediu três polícias fardados", reforçou.

Já o coletivo Habita - Associação pelos Direitos à Habitação e à Cidade declarou, em comunicado, que "a polícia agrediu um morador que procurava interceder pacificamente sobre a sua situação de precariedade".

"Este morador está bastante ferido na cara e foi detido, como se tivesse cometido algum crime", contou a presidente do coletivo Habita, Rita Silva, considerando que "tamanha violência é inaceitável, não pode continuar a acontecer num Estado de Direito".

Para Rita Silva, trata-se de "uma selvajaria e um ataque aos mais vulneráveis, quando o ónus está no Estado, que não desenvolve as políticas necessárias e da sua responsabilidade para que o direito à habitação seja uma realidade em Portugal".

Apesar deste incidente, o comandante da Divisão da Amadora da PSP afirmou que "está tudo a correr bem, dentro daquilo que era expectável". No âmbito das operações de despejo no Bairro 6 de Maio, da responsabilidade da Câmara da Amadora, o papel da PSP foi de "apoio para salvaguardar a intervenção" e "manter a ordem pública".

A 20 de janeiro, a Câmara da Amadora assegurou que ia prosseguir a erradicação do Bairro 6 de Maio, rejeitando o pedido dos deputados da Assembleia da República para suspender as demolições até ser encontrada uma solução, informou a coordenadora do grupo de trabalho parlamentar da Habitação.

"A Câmara da Amadora não assumiu o compromisso de parar com as demolições, disse que ia continuar o trabalho que estava a fazer", disse Helena Roseta (PS), no final de uma audição da presidente da Câmara da Amadora, Carla Tavares (PS).

A audição decorreu à porta fechada e a autarca recusou prestar declarações no final.

Carla Tavares foi convidada a pronunciar-se no parlamento sobre os moradores desalojados do Bairro 6 de Maio, depois de estes e de o coletivo Habita - Associação pelos Direitos à Habitação e à Cidade terem sido ouvidos pelos deputados em dezembro e de terem exposto o problema dos desalojamentos, devido ao reinício das demolições, no âmbito do Programa Especial de Realojamento (PER).

Lançado em 1993, o programa PER visa proporcionar aos municípios condições para erradicarem barracas e para realojarem as famílias em habitações de custos controlados.

Lusa

  • Acidente durante funeral em Miranda do Corvo causa 12 feridos
    2:39

    País

    Um acidente na zona de Miranda do Corvo fez esta terça-feira 12 feridos, um em estado grave. Foi durante um funeral, quando falharam os travões a um dos carros que seguia no cortejo, como explicou, em direto do local, o repórter Miguel Ângelo Marques.

  • Instalações militares vão ter reforço de segurança
    0:52

    Assalto em Tancos

    Depois do caso do roubo de material em Tancos, várias instalações militares vão sofrer um reforço de segurança do material que armazenam. As conclusões sobre o furto dos paióis de Tancos serviram de base às medidas anunciadas esta terça-feira pelo Ministério da Defesa. 

  • SIC faz-se à estrada para ouvir eleitores
    2:13
  • Os elevadores do futuro
    7:13
  • Demências afetam 50 milhões de pessoas
    2:23

    Mundo

    Cinquenta milhões de pessoas em todo o mundo e mais de 150 mil em Portugal sofrem de demências como o Alzheimer ou o Parkinson. Oitenta especialistas de 21 países reúnem-se esta semana na Fundação Champalimau, em Lisboa, para falar deste tipo de epidemia silenciosa.

  • Furacão Maria deixa 25 mil pessoas sem eletricidade em Guadalupe
    2:24
  • Escola na Croácia usa imagem de Melania Trump para chamar alunos

    Mundo

    "Imagine até onde pode ir com um pouco de inglês", foi com estas palavras que uma escola de inglês da Croácia decidiu promover as suas aulas, juntando ainda a fotografia de Melania Trump ao placard do anúncio. Agora, a primeira-dama norte-americana ameaça levar o Instituo Americki a tribunal. Entretanto, o placard já foi retirado do local.

    SIC