sicnot

Perfil

País

Circulação de viaturas sem condutor poderá vir a ter legislação

O carro elétrico do futuro. É da Faraday Future e promete fazer frente ao concorrente da Tesla. O FF91 tem mil cavalos de potência e quatro motores elétricos. A maior novidade é que pode ser conduzido de forma autónoma, sem condutor.

© Steve Marcus / Reuters

O Governo pretende analisar este ano a possibilidade de ser criada legislação relativa à circulação de viaturas que não necessitam de condutor, anunciou esta quarta-feira o secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes.

Em declarações aos jornalistas em Viseu, onde esta quarta-feira participou na conferência "Mobilidade: planear, financiar, contratualizar", José Mendes explicou que "a condução autónoma tem diferentes níveis".

"Podemos criar uma legislação que permita, numa primeira fase, termos funções mais básicas de condução autónoma, como, por exemplo, a entrada e a saída de um parque de estacionamento, e, depois, numa segunda fase, funções mais avançadas", referiu.

A organização da conferência promoveu hoje a demonstração de um veículo elétrico para transporte de pessoas e mercadorias completamente autónomo - o MOVE - num parque de estacionamento.

José Mendes disse aos jornalistas que a legislação para a condução autónoma "não existe em praticamente parte nenhuma do mundo, existe apenas em contextos muito controlados, por razões de segurança".

"O que a lei portuguesa prevê é que os veículos tenham um condutor, o que me parece desde logo muito saudável", afirmou, acrescentando que, no entanto, têm que se ter em conta inovações tecnológicas como o MOVE.

Na sua opinião, há possibilidade de, "pelo menos em ambientes controlados", ser testado este tipo de viaturas sem condutor.

"Temos noção de que isto é uma oportunidade também para Portugal e para as cidades portuguesas e estamos a trabalhar nessa matéria", frisou.

O presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, considerou "muito interessante a experiência de poder andar num transporte público sem condutor", uma solução que encaixa "que nem uma luva numa lógica de mobilidade 24 horas por dia, e até gratuita, para o centro histórico".

"Logo que a legislação esteja desenvolvida sobre esta matéria, Viseu é uma cidade que está candidata a ter o primeiro MOVE", afirmou.
O autarca gostaria de poder inserir o MOVE na rede de transportes públicos de Viseu: "Por exemplo, um dos dois veículos elétricos que vamos ter a fazer o circuito permanente do centro histórico poder ser sem condutor, 24 horas por dia".

Enquanto isso não acontece, o município está disponível para criar um espaço de experimentação para veículos sem condutor, concretamente na circular Norte.

"É uma maneira de, no âmbito do 'cluster' das 'smart cities' (cidades inteligentes), podermos captar algum tipo de investimento", acrescentou.

Lusa

  • O perfil do homicida de Barcelos
    2:42

    País

    Adelino Gomes Briote já tinha sido condenado por ofensas à integridade física da sogra e de uma filha. Em seis meses esta foi a segunda vez que o homem acusado do quádruplo homicídio em Barcelos esteve perante a justiça.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.

  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.

  • Guerra na Síria não dá tréguas
    1:51

    Mundo

    Na Síria e ao mesmo tempo que decorrem novas negociações de paz, a guerra não dá tréguas. As imagens mostram o resultados dos últimos raides aéreos nos subúrbios de Damasco. O balanço provisório é de mais de 30 mortos e pelo menos 50 feridos.