sicnot

Perfil

País

Universidade de Coimbra procura voluntários para estudar impacto da velhice no cérebro

© Michaela Rehle / Reuters

Investigadores do Instituto de Imagem Biomédica e Ciências da Vida (IBILI) estão à procura de voluntários que queiram participar num estudo sobre o impacto do envelhecimento na função cerebral, anunciou esta quinta-feira a Universidade de Coimbra (UC).

Uma equipa coordenada pela investigadora Maria Ribeiro, do Grupo Vision, Brain Imaging and Cognitive Neuroscience, liderado por Miguel Castelo-Branco, do IBILI, "solicita a colaboração de voluntários" da região de Coimbra, de ambos os sexos, com idades entre 20 e 30 anos e 55 e 70 anos.

"O objetivo deste estudo, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, é descobrir o que muda no nosso cérebro que nos torna mais lentos à medida que envelhecemos, abrindo caminho para o desenvolvimento de terapias que visam diminuir o impacto da idade na nossa cognição", refere em comunicado a UC.

Com o envelhecimento, "os nossos reflexos tornam-se mais lentos", uma tendência "associada à perda de qualidade de vida e ao declínio cognitivo", segundo Maria Ribeiro, citada na nota.

"No entanto, os mecanismos cerebrais que causam esta lentificação nas pessoas mais velhas ainda estão por explicar", acrescenta a coordenadora do estudo, iniciado há um ano.

Numa primeira fase, segundo a investigadora do IBILI, "serão usadas técnicas não invasivas, como a eletroencefalografia, a pupilografia e o eletrocardiograma, que permitem estudar o estado e o funcionamento cerebral durante o desempenho de tarefas motoras e, assim, perceber como o cérebro muda com o avançar da idade".

Numa fase posterior da investigação, "as alterações cerebrais serão localizadas usando imagens cerebrais adquiridas por ressonância magnética".

Haverá ainda uma terceira fase, em que "serão testados fármacos com o intuito de perceber se é possível que um sénior volte a ter os reflexos de um jovem adulto", explica Maria Ribeiro.

Lusa

  • As zonas de guerra que o fogo deixou
    3:13

    País

    A chuva finalmente ajudou na luta contra as chamas e o que fica agora é um cenário de devastação no norte e centro do país. Morreram 37 pessoas, arderam centenas de casas e empresas e há críticas severas à falta de meios.

  • Visto do céu, Portugal é um país que se vestiu de negro
    3:28
  • Portugueses usam Facebook para marcar protestos contra incêndios

    País

    Os incêndios que têm acontecido este ano estão a causar revolta entre a população. Por essa razão, estão marcadas, através da rede social Facebook, várias manifestações para os próximos dias um pouco por todo o país. Os portugueses exigem a melhoria do sistema, para que as tragédias deste ano não se voltem a repetir.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06
  • "Quem está no Governo tem sérias responsabilidades"
    1:07

    Opinião

    Pacheco Pereira aponta falhas do Estado, dos bombeiros e da Proteção Civil como causa dos incêndios que assolaram o país no passado domingo. O comentador da SIC considera que o Governo tem responsabilidade perante o que aconteceu.

  • Presidente das Indústrias de Madeira diz que fogos estão a afetar o setor
    0:39

    País

    A Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário desvaloriza que os industriais do setor possam comprar madeira mais barata, em resultado dos incêndios florestais. Em entrevista na SIC Notícias, o presidente da associação, Vítor Poças, considera que os fogos estão a prejudicar gravemente a indústria.