sicnot

Perfil

País

Universidade de Coimbra procura voluntários para estudar impacto da velhice no cérebro

© Michaela Rehle / Reuters

Investigadores do Instituto de Imagem Biomédica e Ciências da Vida (IBILI) estão à procura de voluntários que queiram participar num estudo sobre o impacto do envelhecimento na função cerebral, anunciou esta quinta-feira a Universidade de Coimbra (UC).

Uma equipa coordenada pela investigadora Maria Ribeiro, do Grupo Vision, Brain Imaging and Cognitive Neuroscience, liderado por Miguel Castelo-Branco, do IBILI, "solicita a colaboração de voluntários" da região de Coimbra, de ambos os sexos, com idades entre 20 e 30 anos e 55 e 70 anos.

"O objetivo deste estudo, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, é descobrir o que muda no nosso cérebro que nos torna mais lentos à medida que envelhecemos, abrindo caminho para o desenvolvimento de terapias que visam diminuir o impacto da idade na nossa cognição", refere em comunicado a UC.

Com o envelhecimento, "os nossos reflexos tornam-se mais lentos", uma tendência "associada à perda de qualidade de vida e ao declínio cognitivo", segundo Maria Ribeiro, citada na nota.

"No entanto, os mecanismos cerebrais que causam esta lentificação nas pessoas mais velhas ainda estão por explicar", acrescenta a coordenadora do estudo, iniciado há um ano.

Numa primeira fase, segundo a investigadora do IBILI, "serão usadas técnicas não invasivas, como a eletroencefalografia, a pupilografia e o eletrocardiograma, que permitem estudar o estado e o funcionamento cerebral durante o desempenho de tarefas motoras e, assim, perceber como o cérebro muda com o avançar da idade".

Numa fase posterior da investigação, "as alterações cerebrais serão localizadas usando imagens cerebrais adquiridas por ressonância magnética".

Haverá ainda uma terceira fase, em que "serão testados fármacos com o intuito de perceber se é possível que um sénior volte a ter os reflexos de um jovem adulto", explica Maria Ribeiro.

Lusa

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.