sicnot

Perfil

País

Universidade de Coimbra procura voluntários para estudar impacto da velhice no cérebro

© Michaela Rehle / Reuters

Investigadores do Instituto de Imagem Biomédica e Ciências da Vida (IBILI) estão à procura de voluntários que queiram participar num estudo sobre o impacto do envelhecimento na função cerebral, anunciou esta quinta-feira a Universidade de Coimbra (UC).

Uma equipa coordenada pela investigadora Maria Ribeiro, do Grupo Vision, Brain Imaging and Cognitive Neuroscience, liderado por Miguel Castelo-Branco, do IBILI, "solicita a colaboração de voluntários" da região de Coimbra, de ambos os sexos, com idades entre 20 e 30 anos e 55 e 70 anos.

"O objetivo deste estudo, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, é descobrir o que muda no nosso cérebro que nos torna mais lentos à medida que envelhecemos, abrindo caminho para o desenvolvimento de terapias que visam diminuir o impacto da idade na nossa cognição", refere em comunicado a UC.

Com o envelhecimento, "os nossos reflexos tornam-se mais lentos", uma tendência "associada à perda de qualidade de vida e ao declínio cognitivo", segundo Maria Ribeiro, citada na nota.

"No entanto, os mecanismos cerebrais que causam esta lentificação nas pessoas mais velhas ainda estão por explicar", acrescenta a coordenadora do estudo, iniciado há um ano.

Numa primeira fase, segundo a investigadora do IBILI, "serão usadas técnicas não invasivas, como a eletroencefalografia, a pupilografia e o eletrocardiograma, que permitem estudar o estado e o funcionamento cerebral durante o desempenho de tarefas motoras e, assim, perceber como o cérebro muda com o avançar da idade".

Numa fase posterior da investigação, "as alterações cerebrais serão localizadas usando imagens cerebrais adquiridas por ressonância magnética".

Haverá ainda uma terceira fase, em que "serão testados fármacos com o intuito de perceber se é possível que um sénior volte a ter os reflexos de um jovem adulto", explica Maria Ribeiro.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.