sicnot

Perfil

País

Marcelo homenageia "bravura" de bombeiros portugueses no combate aos piores fogos do Chile 

Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

NUNO FOX

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, louvou hoje os bombeiros portugueses que combateram no Chile, durante duas semanas, nos piores incêndios registados naquele país sul-americano, destacando a sua "bravura" por honrarem o nome de Portugal.

"Em nome de todas as portuguesas e de todos os portugueses, quer o Presidente da República agradecer-vos como orgulhosamente honrastes o nome de Portugal", afirmou o chefe de Estado, na sala das Bicas do Palácio de Belém, perante os 52 elementos da Força Especial de Bombeiros (FEB), que regressaram hoje do Chile.

O Chefe de Estado manifestou "muito agrado e particular emoção", lembrando que "Portugal respondeu prontamente, em apenas 12 horas, ao pedido de assistência internacional à pior vaga de incêndios dos últimos anos no Chile".

Marcelo Rebelo de Sousa descreveu a breve cerimónia como "um gesto simbólico de homenagem pela bravura que a FEB demonstrou no combate ao incêndio de Las Maquinas, felizmente sem vítimas", elogiando o "profundo gesto de solidariedade", numa "missão difícil", na qual se "agiu com coragem e determinação, conseguindo extinguir mais de 12 quilómetros de perímetro de incêndio ativo".

A FEB integrou a força da União Europeia que, desde 27 de janeiro combateu os fogos, dando resposta a um pedido de assistência internacional apresentado pelas autoridades chilenas no quadro do Mecanismo de Proteção Civil da União Europeia.

O adjunto de operações nacional da Proteção Civil, Miguel Cruz, fez um breve resumo da missão antes da intervenção do Chefe de Estado e ofereceu a Marcelo Rebelo de Sousa uma bandeira chilena assinada por todos os elementos que estiveram no terreno.

Igualmente presentes na cerimónia estiveram o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, o embaixador do Chile em Lisboa, German Guerrero, e o presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil, Joaquim Leitão.

Lusa

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".