sicnot

Perfil

País

Furtos aumentaram nas Avenidas Novas, em Lisboa, com fecho da esquadra

© Benoit Tessier / Reuters

O presidente da Junta de Freguesia das Avenidas Novas, em Lisboa, disse hoje que os roubos e os furtos aumentaram com o encerramento da única esquadra da freguesia, tendo também deixado de existir policiamento de proximidade.

A única esquadra da Polícia de Segurança Pública na freguesia das Avenidas Novas, localizada na Praça de Espanha, encerrou a 25 de dezembro de 2016 e foi deslocalizada para as instalações da quinta divisão policial, localizada na freguesia da Penha de França.

Aproveitando a vigília de protesto da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP), junto à quinta divisão policial de Lisboa, o presidente da Junta da Freguesia das Avenidas Novas, Daniel Gonçalves (PSD), contestou o encerramento da esquadra da Praça de Espanha e lamentou que tenha sido transferida para outra freguesia.

Segundo Daniel Gonçalves, os polícias chegam a demorar cerca de 30 minutos à freguesia das Avenidas Novas quando são chamados."A freguesia das Avenidas Novas é enorme, tem uma densidade populacional de mais de 23.000 pessoas, diariamente passam por ali mais de 300.000 e tem um património riquíssimo, mas não tem uma polícia de proximidade, não tem uma esquadra, não tem nada", disse à agência Lusa o presidente da Junta de Freguesia, dando conta que "infelizmente", desde o dia 25 de dezembro de 2016, que os roubos e os furtos passaram "a ser cada vez maiores".

Daniel Gonçalves disse também que os polícias deixaram de fazer patrulhamento na freguesia desde o encerramento da esquadra, exigindo, por isso, um policiamento de proximidade que contacte com os comerciantes e apoie a população envelhecida desta zona de Lisboa.

O autarca adiantou que, nem o Ministério da Administração Interna, nem a Câmara Municipal de Lisboa, informaram a Junta de Freguesia sobre o encerramento esquadra.

Segundo Daniel Gonçalves, a Junta de Freguesia apenas sabia que a esquadra ia fechar porque os terrenos tinham sido vendidos, mas tinha recebido garantias da Câmara Municipal de Lisboa de que iam para o edifício em frente.

A Junta de Freguesia já lançou uma petição para levar o assunto a discussão na Assembleia da República e realiza hoje uma assembleia extraordinária com a presença do vereador da Segurança da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Manuel Castro, e do comandante do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, superintendente Jorge Maurício.

Lusa

  • Drone inglês evita execução do Daesh na Síria
    2:08

    Mundo

    A Força Aérea britânica divulgou esta terça-feira um vídeo que mostra um drone a parar uma execução pública que estaria prestes a acontecer às mãos do Daesh, na Síria. As imagens, apesar de cortadas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, mostram várias pessoas na rua, uma explosão e, depois, a fuga.

  • Atrás das Câmaras em Fátima
    2:48
  • PS quer reconquistar poder em Vila Viçosa
    2:06

    Autárquicas 2017

    Ana Catarina Mendes insistiu na ideia de que o PSD escolheu um modo perigoso de fazer campanha, ao insistir nas críticas à lei da imigração. Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta do PS, esteve esta quarta-feira em campanha no distrito de Évora.

  • Troca de argumentos entre Medina e Cristas marca campanha em Lisboa
    2:34

    Autárquicas 2017

    Esta quarta-feira o dia de campanha em Lisboa ficou marcado por uma troca de argumentos entre Fernando Medina e Assunção Cristas. O atual presidente da Câmara acusa a candidata do CDS de não respeitar os lisboetas por admitir que pode não exercer o cargo de vereadora até ao fim do mandato. Já Assunção Cristas garante que se for eleita cumpre o mandato até ao fim.

  • Furacão Maria já causou pelo menos nove mortes

    Mundo

    O furacão Maria já causou pelo menos nove mortos durante a sua passagem pelas Antilhas Menores, tendo baixando para uma tempestade de grau três depois de atravessar Porto Rico, segundo as autoridades.

  • Casal morre com horas de diferença depois de 75 anos de casamento

    Mundo

    George e Jean Spear morreram no passado dia 15 de setembro, no hospital de Queensway Carleton, em Ottawa (Canadá), depois de terem celebrado 75 anos de casamento em agosto. A britânica de 94 anos conheceu o candaniano em 1941, num salão de bailes, em Londres. George Spear servia as Forças Armadas durante a Segunda Guerra Mundial.

    SIC