sicnot

Perfil

País

Protesto contra Acordo Ortográfico liga Academia das Ciências ao Tribunal Constitucional

O Acordo Ortográfico passou a ser aplicado a 1 de janeiro do ano passado nos documentos do Estado e no ano letivo 2011/2012 no sistema educativo

O grupo "Em aCção contra o Acordo Ortográfico" anunciou hoje a realização de um "cordão humano" entre a Academia das Ciências de Lisboa (ACL) e o Tribunal Constitucional, na capital portuguesa, na quinta-feira às 17:00.

Esta ação "visa apoiar as recentes iniciativas da ACL com vista a assinalar, junto do poder político, os extensos atropelos à Língua contidos no Acordo Ortográfico de 1990 (AO90)", afirma o grupo em comunicado enviado à Lusa.

O grupo conta com "mais de 75 mil membros", e qualifica a iniciativa como "simbólica", ligando, através de um "cordão humano", os trezentos metros que separam as duas instituições, localizadas junto à rua de O Século, em Lisboa.

Pretendem os promotores da iniciativa "instar a Assembleia da República a ponderar uma via de regresso, perante o caos ortográfico instalado e as perturbações fonológicas observáveis no Português, ambos em função da tentativa de aplicação do AO90".

Segundo o grupo "Em aCção contra o Acordo Ortográfico", "a ACL foi enxovalhada e subalternizada, como tem acontecido sempre desde o início deste processo de delapidação da Língua, por imposição estatal".

Lusa

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.

  • Zeca Afonso morreu há 30 anos
    1:11
  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • "Isto é uma mentira e tem carimbo de Estado"
    2:12

    Opinião

    O preço das botijas de gás em Portugal duplicou nos últimos 15 anos. José Gomes Ferreira esteve no Jornal da Noite, da SIC, onde explicou este aumento, lembrando que a classe política prometeu que se houvesse mais empresas a operar no mercado, os preços desciam. Contudo, José Gomes Ferreira diz que "isto é uma mentira e tem carimbo de Estado". O Diretor-Adjunto de Informação SIC explicou que como o mercado é livre, os operadores vendem aos preços mais altos que podem, deste modo os preços não variam muito entre uns e outros.

    José Gomes Ferreira