sicnot

Perfil

País

Sindicato da PSP promove vigília contra "indefinição" na 5ª divisão de Lisboa

(arquivo)

PAULO NOVAIS

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) realiza esta quarta-feira uma vigília de protesto contra a "indefinição" vivida pelos polícias da quinta divisão policial do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis), que desconheçam se vai ser encerrada.

A vigília, que se realiza a partir das 11:00 em frente à sede da quinta divisão policial, não tem como objetivo protestar contra o encerramento, mas sim manifestar o desagrado pela "indefinição de saber o que vai acontecer" àquela divisão policial do Cometlis, disse à agência Lusa o presidente da ASPP, Paulo Rodrigues.

Segundo a ASPP, desde junho de 2016, que os polícias "vivem na indefinição de saber o que irá acontecer à 5.ª divisão policial do Cometlis, uma vez que já foi referido pela direção nacional da PSP que iria encerrar e que passaria a ser uma divisão afeta às Equipas de Intervenção Rápida".

Paulo Rodrigues disse também que esta questão já foi colocada à direção nacional da PSP e ao Ministério da Administração Interna, mas nunca foi obtida qualquer resposta.

"A indefinição vivida fez com que profissionais solicitassem, legitimamente, a transferência de local de serviço, deixando aquela divisão com menos efetivos mas, como continua aberta, com o mesmo volume de trabalho", refere a ASPP, considerando que esta indefinição "poderá vir a afetar a qualidade do serviço prestado aos cidadãos".

Contactada pela agência Lusa, a direção nacional da PSP referiu que a quinta divisão policial do Cometlis vai ser encerrada "enquanto estrutura", passando Lisboa a ter quatro divisões policiais.

O porta-voz da direção nacional da PSP, intendente Hugo Palma, adiantou que as esquadras que integram a quinta divisão não vão fechar, sendo divididas pelas restantes divisões.

Hugo Palma garantiu que o atendimento ao público e o patrulhamento vão manter-se, desaparecendo apenas os serviços administrativos da quinta divisão, que vão ser absorvidos por outras divisões, o que afetará algumas dezenas de profissionais.

Segundo a PSP, o encerramento da quinta divisão policial do Cometlis não deverá ocorrer em 2017 e ainda não há uma decisão se estas instalações vão passar a acolher as Equipas de Intervenção Rápida de Lisboa.

Lusa

  • PSP exige admissão de mais agentes em 2017
    0:46

    País

    Centenas de polícias participaram esta quinta-feira numa manifestação organizada pelo sindicato dos Profissionais da Polícia. O protesto realizou-se em frente ao Ministério da Administração interna, no Terreiro do Paço. Os polícias exigiram progressões nas carreiras e a admissão de mais agentes para a PSP.

  • PSP em protesto pela progressão na carreira
    0:47

    País

    Centenas de polícias participam numa manifestação em frente ao Ministério da Administração Interna, organizada pelo sindicato da Polícia de Segurança Pública, para exigir as progressões nas carreiras e a adminssão de mais agente da PSP.

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espirito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espirito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Caso que está a gerar tensão entre Angola e Portugal chega a tribunal 2ª.feira
    1:32

    País

    O julgamento da Operação Fizz começa esta segunda feira numa altura em que o tribunal da Relação ainda não decidiu se aceita o pedido de Luanda para que Manuel Vicente seja julgado em Angola. O Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa foi arrolado pelo tribunal como testemunha e já respondeu por escrito. O processo será julgado no tribunal da comarca de Lisboa pelo coletivo de juízes formado por Alfredo Costa, Helena Pinto e Ana Guerreiro da Silva, estando o Ministério Público representado pelo procurador José Góis.

  • Mais de 60% dos jovens não usam preservativo
    1:42
  • Dissonâncias entre EUA e Europa "podem ser ultrapassadas"
    1:04

    Mundo

    O ministro dos Negócios Estrangeiros reconhece que há sinais manifestos de dissonância na política externa da Europa e dos Estados Unidos da América. No dia em que Donald Trump completa um ano na Casa Branca, Augusto Santos Silva diz que acredita, no entanto, que essas divergências podem ser ultrapassadas.

  • Há mais um suspeito do massacre de Las Vegas 
    0:27

    Mundo

    Em outubro passado, Stephen Paddock abriu fogo sobre os espetadores de um concerto de música country, em Las Vegas, matando 58 pessoas e ferindo quase 500, no mais sangrento tiroteio da história norte-americana recente. A novidade é que a polícia federal dos EUA abriu uma investigação sobre um segundo suspeito no tiroteio. A Polícia Metropolitana disse que não há ainda um motivo para o tiroteio mas aponta como uma das possíveis razões o facto de Stephen Paddock ter perdido uma grande quantia de dinheiro. Os investigadores descobriram ainda que o atirador possuía pornografia infantil no seu computador.