sicnot

Perfil

País

Sindicato da PSP promove vigília contra "indefinição" na 5ª divisão de Lisboa

(arquivo)

PAULO NOVAIS

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) realiza esta quarta-feira uma vigília de protesto contra a "indefinição" vivida pelos polícias da quinta divisão policial do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis), que desconheçam se vai ser encerrada.

A vigília, que se realiza a partir das 11:00 em frente à sede da quinta divisão policial, não tem como objetivo protestar contra o encerramento, mas sim manifestar o desagrado pela "indefinição de saber o que vai acontecer" àquela divisão policial do Cometlis, disse à agência Lusa o presidente da ASPP, Paulo Rodrigues.

Segundo a ASPP, desde junho de 2016, que os polícias "vivem na indefinição de saber o que irá acontecer à 5.ª divisão policial do Cometlis, uma vez que já foi referido pela direção nacional da PSP que iria encerrar e que passaria a ser uma divisão afeta às Equipas de Intervenção Rápida".

Paulo Rodrigues disse também que esta questão já foi colocada à direção nacional da PSP e ao Ministério da Administração Interna, mas nunca foi obtida qualquer resposta.

"A indefinição vivida fez com que profissionais solicitassem, legitimamente, a transferência de local de serviço, deixando aquela divisão com menos efetivos mas, como continua aberta, com o mesmo volume de trabalho", refere a ASPP, considerando que esta indefinição "poderá vir a afetar a qualidade do serviço prestado aos cidadãos".

Contactada pela agência Lusa, a direção nacional da PSP referiu que a quinta divisão policial do Cometlis vai ser encerrada "enquanto estrutura", passando Lisboa a ter quatro divisões policiais.

O porta-voz da direção nacional da PSP, intendente Hugo Palma, adiantou que as esquadras que integram a quinta divisão não vão fechar, sendo divididas pelas restantes divisões.

Hugo Palma garantiu que o atendimento ao público e o patrulhamento vão manter-se, desaparecendo apenas os serviços administrativos da quinta divisão, que vão ser absorvidos por outras divisões, o que afetará algumas dezenas de profissionais.

Segundo a PSP, o encerramento da quinta divisão policial do Cometlis não deverá ocorrer em 2017 e ainda não há uma decisão se estas instalações vão passar a acolher as Equipas de Intervenção Rápida de Lisboa.

Lusa

  • PSP exige admissão de mais agentes em 2017
    0:46

    País

    Centenas de polícias participaram esta quinta-feira numa manifestação organizada pelo sindicato dos Profissionais da Polícia. O protesto realizou-se em frente ao Ministério da Administração interna, no Terreiro do Paço. Os polícias exigiram progressões nas carreiras e a admissão de mais agentes para a PSP.

  • PSP em protesto pela progressão na carreira
    0:47

    País

    Centenas de polícias participam numa manifestação em frente ao Ministério da Administração Interna, organizada pelo sindicato da Polícia de Segurança Pública, para exigir as progressões nas carreiras e a adminssão de mais agente da PSP.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59