sicnot

Perfil

País

Antigo presidente do Montepio suspeito de burla qualificada e insolvência dolosa

© Hugo Correia / Reuters

Tomás Correia, antigo presidente do Montepio, foi constituído arguido por suspeita de insolvência dolosa e burla qualificada, entre outras acusações, num negócio imobiliário em Coimbra.

Para além de Tomás Correia, o Ministério Público também constituiu arguidos o Presidente da Martifer, Carlos Martins e ainda o antigo Presidente do Finibanco, Humberto Costa Leite.

A decisão do Ministério Público tem por base um negócio imobiliário de venda de 30 hectares situados à entrada de Coimbra, conhecidos por Colinas de Vale Meão. Este negócio correu a par da OPA lançada em 2010 pelo Montepio, então presidido por Tomás Correia, sobre o antigo Finibanco, liderado na altura por Humberto Costa Leite.

O negócio foi realizado por 341 milhões de euros, um valor 100 milhões acima das avaliações efectuadas.

  • Benefícios fiscais trouxeram a Portugal 10 mil estrangeiros em 2015

    Economia

    Os benefícios fiscais em Portugal atraíram mais de 10 mil estrangeiros no ano passado. A maioria vem com o estatuto de residente não habitual, que dá isenção total de IRS aos reformados por dez anos e 20% de isenção no imposto para profissionais que estiverem ligados a atividades de valor acrescentado como Psicologia, Investigação ou Medicina.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Novo campo de refugiados construído em Mossul

    Mundo

    Um novo campo de refugiados foi construído em Mossul, no Iraque. Com cerca de 4 mil tendas, foi construído durante 45 dias para albergar os deslocados que se prevê que aumentem com a atual ofensiva militar na zona ocidental da cidade.