sicnot

Perfil

País

Condenado a 3 anos de cadeia homem que ateou fogo na Madeira

LUSA

Foi hoje condenado a 3 anos de prisão efetiva o homem acusado de ter ateado o incêndio que atingiu a zona da Camacha, na Madeira, em agosto passado.

O acórdão do julgamento foi lido esta manhã. O homem de 50 anos era acusado do crime de incêndio florestal agravado e três crimes de homicídio.

O fogo atingiu uma área florestal e zonas residenciais, no concelho de Santa Cruz. Três pessoas morreram, mais de 300 habitações arderam e centenas de pessoas ficaram desalojadas.

O suspeito, que já tinha antecedentes criminais, estava desde agosto em prisão preventiva.

"O tribunal entendeu condenar a uma pena de três anos de prisão, que, tendo em conta os antecedentes criminais, não pode ser suspensa, é efetiva", afirmou o juiz presidente do coletivo, Filipe Câmara.


O juiz apontou que o homem "assumiu quase na íntegra os factos" de que vinha acusado.


O tribunal deu como provado que o homem, no dia 12 de agosto, "depois de consumir álcool todo o dia", cerca das 22:00, decidiu, com um isqueiro, atear fogo numa zona de mato na área da sua residência, na Camacha, concelho de Santa Cruz, na zona leste da Madeira, onde vivia com a mãe e um irmão, que deu o alerta aos bombeiros.


O juiz apontou que o fogo "rapidamente se alastrou e só não atingiu maiores proporções dada a rápida intervenção dos bombeiros", tendo sido combatido por seis elementos da corporação local, apoiados por duas viaturas. Consumiu cerca de 1.200 metros de mato e algumas árvores.


O tribunal considerou que o arguido sabia que "punha em perigo bens materiais alheios e a vida integridade" de outras pessoas, tendo levado em conta que "os danos não foram assim tão elevados".


Com Lusa

  • Três irmãos resgatados dos escombros em Itália
    1:24
  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • Graça Fonseca, a primeira governante a assumir-se homossexual
    1:02

    País

    A secretária de Estado da Modernização Administrativa deu uma entrevista ao Diário de Notícias onde assume a sua homossexualidade. É a primeira vez que um governante português o faz. Graça Fonseca assume esta posição pública como uma "afirmação política".

  • Governo quer entregar OE 2018 a 13 de outubro
    1:33
  • Casa Branca isolada devido a pacote suspeito

    Mundo

    A Casa Branca foi esta terça-feira isolada devido à presença de um pacote suspeito junto a uma das vedações que limitam o edifício governamental norte-americano. A situação já foi normalizada e o objeto retirado do local.