sicnot

Perfil

País

Portugal é o 4º país a acolher mais refugiados

Arquivo

ANDRÉ KOSTERS / LUSA

Portugal já recebeu 1.001 refugiados ao abrigo do programa europeu de recolocação. Acima só a França, a Alemanha e a Holanda, segundo os dados do Governo português e da UE.

Dos 1.001 refugiados, 673 são adultos e 328 são crianças, havendo 322 pessoas que chegaram sozinhas e 166 agregados familiares.

Números divulgados hoje pelo Governo e já incluem as pessoas que chegaram esta semana. Segundo o ministro-adjunto os dados revelam que Portugal "é um dos países mais ativos no cumprimento do objetivo europeu de solidariedade".

Eduardo Cabrita admitiu ainda que o programa de recolocação tem tido "dificuldades administrativas várias", mas o facto de Portugal já ter acolhido mais de mil pessoas, dentro do objetivo de cerca de cinco mil com que se comprometeu, mostra que o país tem "uma posição ativa no espaço europeu e uma posição solidária".

Questionado sobre o facto de vários refugiados já terem abandonado Eduardo Cabrita lembrou que estão em causa "cidadãos livres que fugiram de zonas de guerra".

"Esse fenómeno de saída de programa, designadamente procurando reagrupamento familiar, passa-se em toda a Europa", disse o ministro, dando como exemplo a Suíça, onde a taxa de saída é de 25%.

Por conseguinte o Governo diz que Portugal é dos países "com maior taxa de cumprimento da quota" a que se comprometeu, lamentando, por outro lado, os países que se recusaram a receber estas pessoas.

Os primeiros refugiados chegaram a Portugal a 15 de dezembro de 2015, duas semanas depois da tomada de posse do atual Executivo que dá prioridade ao ensino da língua portuguesa e à formação profissional, para que os refugiados conseguiam integra-se em Portugal depois de terminado o período de 18 meses durante o qual existe apoio financeiro da União Europeia.

  • Família Aveiro na inauguração do Aeroporto Cristiano Ronaldo
    2:34

    País

    A decisão de dar o nome de Cristiano Ronaldo ao aeroporto da Madeira divide opiniões. Contudo, na cerimónia de inauguração desta quarta-feira só se ouviram aplausos. Os madeirenses juntaram-se à porta do aeroporto para ver e receber o melhor jogador do mundo. Também a família do jogador esteve na Madeira para apoiar Ronaldo.

  • A (polémica) mudança de nome do aeroporto da Madeira
    2:00

    País

    O aeroporto da Madeira é desde esta quarta-feira aeroporto Cristiano Ronaldo. O Presidente da República e o primeiro-ministro estiveram juntos na homenagem ao futebolista. A alteração não é consensual entre os madeirenses.

  • O busto de Ronaldo que virou piada no mundo inteiro
    2:04

    País

    No dia em que foi formalizado o novo nome do aeroporto da Madeira, foi também conhecido o busto em bronze de Cristiano Ronaldo e que, desde logo, começou a provocar reações em todo o mundo. As críticas da imprensa internacional não são propriamente positivas e a internet aproveitou para dar contornos humorísticos à criação.

  • Os seus descontos para a Segurança Social estão em ordem?
    7:50
    Contas Poupança

    Contas Poupança

    4ª FEIRA JORNAL DA NOITE

    Os portugueses estão cada vez mais preocupados com a reforma. O valor que se vai receber depende dos descontos que se fizerem para a Segurança Social. Mas há contabilistas que cometem burlas com o dinheiro dos clientes, há esquecimentos, e empresas que deixam de pagar as contribuições por falta de verbas. O Contas Poupança explica-lhe como pode ver neste instante se todos os seus descontos estão nos cofres da Segurança Social, e corrigir algum erro antes que seja tarde demais.

  • "Não há razão para fingirmos que hoje é um dia feliz"
    1:55

    Brexit

    Depois de receber esta quarta-feira a notificação do Brexit, o presidente do Conselho Europeu antecipou negociações difíceis. Donald Tusk diz que agora é preciso minimizar os prejuízos para os cidadãos europeus e para as empresas.

  • "Não há recuo possível"
    2:30

    Brexit

    O processo de saída do Reino Unido da União Europeia começou esta quarta-feira, com a ativação do artigo 50.º do Tratado de Lisboa. A notificação de Theresa May foi feita por carta a Donald Tusk e a primeira-ministra disse que não recuo possível. O processo de negociações levará dois anos e a saída do Reino Unido da União Europeia ficará concluída em 2019.