sicnot

Perfil

País

Associação de Estudantes da FCSH denuncia ameaças da extrema-direita

A Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa denunciou esta quarta-feira, em comunicado, ameaças de cerca de 40 pessoas ligadas à extrema-direita.

"Na terça-feira, a direção da Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (AEFCSH) da Universidade Nova de Lisboa foi invadida por quatro dezenas de indivíduos afetos à extrema-direita, que se identificaram como tal", refere.

Segundo a associação, numa atitude "claramente intimidatória", as pessoas exigiram conhecer individualmente alguns membros da AEFCSH."A par desta iniciativa, as fotos de alguns dirigentes associativos foram publicadas em redes sociais da extrema-direita, sendo que as 40 pessoas prometeram voltar em maior número às instalações da AEFCSH", sublinha.

Os estudantes daquela faculdade decidiram na segunda-feira em Reunião Geral de Alunos não ceder o auditório à organização Nova Portugalidade para a realização de uma conferência do politólogo Jaime Nogueira Pinto sobre "Populismo ou Democracia? O Brexit, Tump e Le Pen em debate".

A Reunião Geral alegou que o evento estava "associado a argumentos colonialistas, racistas, xenófobos".No comunicado, a AEFCSH salienta que "nunca procurou impedir a existência de debate político, nem a presença do professor Jaime Nogueira Pinto na faculdade".

"A direção da AEFCSH limitou-se a dar seguimento a uma decisão da Reunião Geral de Alunos que a mandatou para não ceder o auditório pedido pela organização Nova Portugalidade. Esta organização tem um perfil salazarista e a direção da AEFCSH revê-se na preocupação estudantil à qual ficou vinculada na Reunião Geral de Alunos", refere.

No comunicado, a associação explica também que só teve conhecimento da decisão de anular a realização da conferência pela comunicação social.A AEFCSH termina a afirmar que "não se deixará intimidar pela presença e ameaças de nenhum grupo de extrema-direita" e que "não tem medo do debate livre, que nunca impediu e que continuará a promover na faculdade, assim como os valores democráticos pelos quais se rege".

Lusa

  • Marcelo considera incompreensível cancelamento de conferência
    2:33

    País

    O Presidente da República considera que o diretor da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova de Lisboa tomou uma decisão absurda e incompreensível ao cancelar uma conferência de Jaime Nogueira Pinto sobre populismos e democracia. Marcelo Rebelo de Sousa quer esclarecimentos e sublinha a disponibilidade da Associação 25 de Abril para receber a iniciativa.

  • Palestra com Jaime Nogueira Pinto vai afinal realizar-se
    3:15

    País

    Depois de ter sido cancelada, a conferência com Jaime Nogueira Pinto vai afinal realizar-se na Universidade Nova. O reitor da universidade rejeita que se trate de uma ameaça à liberdade de expressão. Horas antes, Marcelo Rebelo de Sousa considerou "absurda e incompreensível" a decisão de cancelar a palestra.

  • Nogueira Pinto considera "perigoso" este tipo de silenciamento de opinião
    1:01

    País

    Jaime Nogueira Pinto diz que o texto da conferência que tinha preparado para apresentar na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova vai ser publicado, brevemente, num jornal. Na SIC Notícias, o politólogo anunciou que, depois do cancelamento da palestra, já recebeu convites de sete instituições. Jaime Nogueira Pinto considera "perigosa" a posição dos jovens contestatários.

  • Marcelo considera incompreensível cancelamento de conferência
    2:33

    País

    O Presidente da República considera que o diretor da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova de Lisboa tomou uma decisão absurda e incompreensível ao cancelar uma conferência de Jaime Nogueira Pinto sobre populismos e democracia. Marcelo Rebelo de Sousa quer esclarecimentos e sublinha a disponibilidade da Associação 25 de Abril para receber a iniciativa.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14