sicnot

Perfil

País

BTL abre amanhã as portas com Portugal e Turismo de Natureza em destaque

A Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) abre as portas esta quarta-feira, com os dois primeiros dias dedicados apenas a profissionais, numa edição em que se destacam destinos nacionais, o Turismo de Natureza e se esperam mais de 75 mil visitantes.

Entre esta quarta-feira e domingo, na FIL (Parque das Nações, em Lisboa), a 29.ª edição vai concentrar-se na oferta turística nacional, com a região autónoma da Madeira a surgir como destino convidado e Viseu como cidade convidada.

A organização também já anunciou a "forte aposta" de municípios que decidiram, pela primeira vez, investir em espaços próprios, como Alenquer, Barcelos, Esposende, Mafra, Nisa, Penamacor e São Pedro do Sul.Mas entre os destinos internacionais chegam presenças inéditas no certame como a Argentina, Taipé, Zimbabué, Colômbia, África do Sul, Peru, Galiza (Espanha) e Minas Gerais (Brasil), segundo afirmou a diretora da BTL, Fátima Vila Maior, na apresentação do evento, há um mês.

Para a promoção do Turismo de Natureza, a BTL contará com uma zona com painéis ilustrativos da flora e da fauna dos parques naturais de Portugal e empresas e entidades com serviços e explicações para os interessados.

Em 2017, a "oferta de propostas deve aumentar 20 a 30%", contabilizou a organização, com base nos pedidos dos operadores para disponibilização de mais meios tecnológicos e de mais espaço.Se os profissionais podem deslocar-se todos os dias, com um bilhete de 10 euros, o público em geral poderá marcar presença de sexta-feira a domingo, pagando entradas que variam entre os 2,50 euros e os cinco euros.

Fátima Vila Maior informou haver empresas que criam produtos para vender especificamente na BTL, pelo que "prevê muito boas ofertas para o público" entre os 1.200 expositores.Confirmadas estão as presenças de todas as entidades regionais de Turismo e 30 municípios, além de 42 destinos internacionais, numa área total de mais de 37 mil metros quadrados.

A BTL terá pela primeira vez um 4º pavilhão, com um espaço dedicado à gastronomia. Como em anos anteriores, o pavilhão 1 recebe entidades nacionais de promoção, o pavilhão 2 serviços e empresas de hotelaria, e no pavilhão 3 estarão operadores e distribuidores turísticos e agências de viagens.

Na FIL haverá ainda espaço para 'startups' (empresas em início de atividade), programas dedicados a crianças, empresas fora da área - como seguradoras, bancos e consultoras -, e para o 'Hosted Buyers', que este ano traz 400 compradores internacionais, que deverão agendar, diariamente, pelo menos seis reuniões.

Também haverá prémios para 'blogs', exposição de projetos de 'design' de interiores e reforço da parceria com a Associação Empresarial de Ourém-Fátima em ano de centenário das aparições relatadas por três crianças.


Lusa

  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.