sicnot

Perfil

País

Governo "não foi formalmente consultado" sobre aeroporto da Madeira

HUGO DELGADO

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, afirmou esta quinta-feira que o Governo "não foi formalmente consultado" sobre a questão da atribuição do nome do futebolista Cristiano Ronaldo ao aeroporto da Madeira.

"O Governo da República não foi formalmente consultado sobre a matéria", referiu Pedro Marques, em Guimarães, sublinhando que a questão está a ser liderada e conduzida, "e muito bem", pela ANA - Aeroportos de Portugal.

A 21 de Junho de 2016, o Governo Regional decidiu atribuir o nome de Cristiano Ronaldo ao aeroporto da Madeira, arquipélago de onde o futebolista é natural.

A cerimónia de atribuição do nome está marcada para 29 de março, no dia a seguir ao encontro particular de futebol entre as seleções de Portugal e Suécia, que será disputado no Funchal.

A 08 de março, o jornal Público e o matutino madeirense Diário de Notícias referiram que o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas "levantou dúvidas sobre a legitimidade do Governo madeirense para atribuir o nome" de Cristiano Ronaldo ao aeroporto da ilha, adiantando que o ministro Pedro Marques teria "pedido mesmo um parecer à ANA" sobre este assunto.

Hoje, Pedro Marques garantiu que não foi pedido nenhum parecer. "Não pedimos qualquer parecer à ANA, a ANA tem os seus documentos, tem a sua análise, tem a sua gestão do dossiê e fez a gestão, e bem, do meu ponto de vista, do dossiê", afirmou o governante.

Disse ainda que "qualquer interacção" do Governo com a ANA ou com o Governo Regional não é feita "através da comunicação social".

O presidente do Governo madeirense já considerara, entretanto, uma "falta de educação" e uma "deselegância" colocar em causa a competência da região para alterar o nome do aeroporto da ilha para homenagear o futebolista Cristiano Ronaldo.

Miguel Albuquerque sublinhou que "o aeroporto é propriedade da Região Autónoma da Madeira" e que toda esta questão "não tem nem pés nem cabeça".

Lusa

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.