sicnot

Perfil

País

Um ferido a tiro em "desentendimento" no bairro da Pasteleira no Porto

Um homem foi ferido a tiro durante "um desentendimento" com outro indivíduo este domingo no bairro da Pasteleira, no Porto, mas está "livre de perigo", disse fonte da PSP à Lusa.

Segundo o oficial de dia daquela força policial, o autor do disparo - que terá ocorrido cerca das 14:30, durante uma altercação entre dois indivíduos -- já foi detido, mas a arma utilizada "ainda não foi localizada".

De acordo com a fonte, no local encontra-se um efetivo de mais de duas dezenas de elementos policiais, entre os quais duas equipas de intervenção rápida e três equipas de investigação criminal, cujo objetivo é "criar um perímetro de segurança até que os ânimos serenem".

O homem atingido a tiro foi transportado para o Hospital de S. João, no Porto, e ao que tudo indica estará "livre de perigo".

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Hotel inovador na Madeira
    2:23

    Economia

    O grupo Pestana está a construir no Funchal, um novo e único hotel, através de uma técnica inovadora que quase não utiliza cimento. Este vai ser o primeiro hotel do mundo construído com um sistema modular desenvolvido em Portugal. O hotel vai ter 77 quartos e vai ficar construído em apenas seis meses. O maior grupo hoteleiro português admite recorrer a este novo sistema em futuros hotéis.

  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.