sicnot

Perfil

País

Incêndio no Marão obriga ao corte do IP4

Um incêndio de grandes proporções obrigou ao corte do trânsito no IP 4 na zona do Marão, Vila Real, disse à Lusa o comandante dos Bombeiros da Cruz branca. Segundo Orlando Matos, o forte vento que se faz sentir na região está a dificultar o combate às chamas, que estão queimar uma zona de povoamento florestal.

O avanço do fogo sobre o IP 4 está a obrigar ao reposicionamento dos meios destacados para combater as chamas, que envolvem 88 bombeiros, apoiados por 26 veículos.

Este incêndio, que deflagrou às 15:25, junta-se a um outro que está a queimar pinhal perto da Portela, também em Vila Real, e para onde foram mobilizados 75 operacionais, apoiados às 19:55 por 18 veículos e um helicóptero.

Miguel Fonseca, responsável pela proteção civil municipal e comandante dos bombeiros da Cruz Verde, referiu que este incêndio deflagrou cerca das 15:00, chegou a ser dado como dominado pelas 16:00, só que depois um novo foco obrigou a uma rápida deslocação dos meios, já que estava a arder perto de algumas habitações.

O responsável referiu que a prioridade foi defender três casas, que estavam no alinhamento do fogo, o que fez com que a cabeça do incêndio ganhasse dimensão.

A estrada municipal que liga Vila Real ao Peso da Régua foi cortada para trabalhos de combate e, por causa do fumo, foi também cortada uma faixa de rodagem da autoestrada A24.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15