sicnot

Perfil

País

Tripulantes de cabine da SATA estendem greve aos dias 1 e 2 de junho

Os tripulantes de cabine da transportadora Azores Airlines e SATA Air Açores vão estender a greve a "todos os voos" nos dias 1 e 2 de junho, além dos dias 1 e 2 de maio já comunicados, foi esta sexta-feira anunciado.

O novo pré-aviso de greve, a que a agência Lusa teve acesso, foi esta sexta-feira enviado a ambas as companhias aéreas do grupo SATA.

No documento é referido que o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) considera serviços mínimos "todas as ligações aéreas programadas a fazer face a situações de emergência médica, as ligações que permitam duas descolagens e aterragens nas ilhas de São Miguel e Terceira e uma aterragem e descolagem nas restantes ilhas do arquipélago, com exceção daquelas onde nesses dias não existiriam ligações aéreas".

Segundo o sindicato, "serão respeitadas as datas festivas do Santo Cristo, um dos momentos religiosos anuais que mais pessoas do arquipélago e da diáspora reúne na cidade de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.

No caso da Azores Air Lines, que liga o arquipélago com o exterior, no dia 1 de junho será realizado apenas o voo Lisboa/Horta/Lisboa, às 08h00, e no dia 2 de junho o voo Lisboa/Horta/Lisboa, também à mesma hora.

Na semana passada foi anunciado que os tripulantes de cabine da Azores Airlines, antiga SATA Internacional, e da SATA Air Açores iriam estar em greve nos dias 1 e 2 de maio, assegurando apenas três voos de serviços mínimos.

O incumprimento de vários pontos do acordo de empresa, assim como de alguns protocolos assinados são os principais motivos apontados pelo sindicato para estas paralisações.

Esta sexta-feira decorreu em Lisboa uma reunião convocada pela Comissão de Trabalhadores, na qual apenas o presidente do Conselho de Administração da SATA, Paulo Menezes, esteve presente.

Contactado pela Lusa, Bruno Fialho, do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, admitiu ter recebido um convite da Comissão de Trabalhadores (CT) para a reunião, o qual foi declinado, por entender que "seria inútil falar com a CT sobre as razões que levaram ao pré-aviso de greve".

"Infelizmente, a administração da SATA continua a desrespeitar os tripulantes de cabine do grupo, considerando mais urgente reunir para esclarecer a Comissão de Trabalhadores do que solucionar os problemas existentes", considera em comunicado o sindicato.

Além disso, adiantam que foi feito um pedido do sindicato para reunir com Paulo Menezes no dia 24 de abril, em Lisboa, o qual "não mereceu qualquer resposta", obrigando agora a uma tomada de posição, que passou por convocar mais dois dias de greve em junho.

"No entanto comunicamos à empresa que continuamos abertos ao diálogo para que seja encontrada uma solução", garante o sindicato.

A Lusa tentou contactar o presidente do Conselho de Administração, Paulo Menezes, mas sem sucesso até ao momento.

Paulo Menezes já tinha exortado o SNPVAC a retirar o primeiro pré-aviso de greve, considerando haver condições para dialogar desde que não seja posta em causa a recuperação financeira da empresa.

Lusa

  • Coreia do Norte foi "isolada à força"

    Mundo

    O empresário espanhol León Smit, que organiza visitas à Coreia do Norte, diz que o país foi "isolado à força", sendo "muito difícil" estabelecer relações comerciais com Pyongyang, sob o regime de Kim Jong-un.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite