sicnot

Perfil

País

"Malva", a fêmea de lince-ibérico, já alimenta as crias com coelho

"Malva" a levar coelho para as crias

ICNF

Têm cerca de dois meses e meio de idade e são três. As crias de "Malva", a fêmea libertada no concelho de Mértola em fevereiro de 2016, já estão a ser alimentadas com coelhos trazidos pela mãe e já a acompanham em pequenos percursos. No território onde "Malva" se fixou tem estado também "Mundo", o lince da população selvagem de Doñana, em Espanha, que percorreu cerca de 170 quilómetros, até Serpa, em Portugal, para acasalar.

Tudo indica que seja o primeiro caso de acasalamento de linces-ibéricos de duas populações distintas, a de Doñana, em Espanha, e a do Vale do Guadiana, após o arranque do programa de reintrodução em Portugal. Os biólogos do Parque Natural do Vale do Guadiana (PNVG)/ Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) vão agora recolher material biológico das crias para se fazerem análises genéticas que permitam confirmar em definitivo a paternidade. Mas pelo comportamento do macho e da própria fêmea, ao tolerá-lo perto das crias, é quase certo que "Mundo" seja o progenitor das crias de "Malva".


A equipa que monitoriza os linces-ibéricos libertados no concelho de Mértola tem detetado o macho no território da fêmea, o que indicia ser ele o progenitor das crias. Caso não fosse, tentaria matá-las para acasalar com "Malva", e a própria fêmea não o toleraria por perto, explica Carlos Carrapato do PNVG. O próximo passo para a confirmação da paternidade será recolher dejetos das crias para análise genética.

A história de "Malva" e "Mundo" é encarada como um sinal muito positivo. "Até agora só tinhamos animais criados em cativeiro e reintroduzidos, ou crias deles". Neste momento, "há conexão ibérica" entre populações distintas de ambos os lados da fronteira. Os biólogos e técnicos que trabalham na conservação do lince-ibérico em Portugal e em Espanha acreditam mesmo que a sobrevivência da população de Doñana poderá ser assegurada pela população existente no Alentejo.

Este ano, já 4 fêmeas de lince-ibérico tiveram crias na natureza em Portugal. Em relação ao ano passado, o primeiro ano em que houve crias, "está a ser um sucesso, duplicámos fêmeas com crias, este ano", remata Carlos Carrapato.

Esta quinta-feira, o ICNF anunciou a "conexão efetiva entre as populações de lince-ibérico em Portugal e Espanha" e informou que o macho "Mundo" foi detetado junto ao território da fêmea, através de vestígios e fotoarmadilhagem, e "identificado graças ao seu padrão de pelagem individual".

  • Lince espanhol veio acasalar a Portugal

    País

    Um macho de lince-ibérico, nascido na região de Doñana, em Espanha, é o provável progenitor da primeira ninhada da espécie confirmada este ano na natureza em Portugal. "Mundo" terá percorrido cerca de 170 quilómetros até encontrar a fêmea "Malva", em Serpa.